Onda de violência e briga de facções criminosas aflige o Acre, lamenta Petecão

Da Redação | 06/09/2017, 15h04 - ATUALIZADO EM 06/09/2017, 16h49

O senador Sérgio Petecão (PSD-AC) lamentou nesta quarta-feira (6) a onda de violência no Acre, que se espalhou pelos pequenos municípios, não estando mais concentrada na capital. Em boa medida, disse ele, o quadro decorre da situação geográfica do estado, situado na fronteira com o Peru e a Bolívia, países apontados como os maiores produtores de drogas do mundo. As facções criminosas estão em sempre em guerra pelo domínio desse comércio.

— Me preocupa essa situação, porque todos os dias, todos os dias nós temos ali, quando se abrem os jornais, notícias dessa briga de facções. E o pior é que as vítimas são jovens, a juventude, jovens de 17, 16, 18 anos, que às vezes viram presa fácil do tráfico de drogas.

Para o senador, não se pode atribui culpa em relação ao problema a prefeito e governador. Depois de prestar solidariedade ao povo de Santa Catarina, nesse momento enfrentando situação similar, ele apelou ao governo federal por medidas fortes, em parceria com os estados, independentemente do partido que esteja governando.

— Nós estamos perdendo a guerra para os bandidos. A verdade é essa. No meu estado, essa sensação de insegurança é muito ruim — comentou.

Petecão aproveitou para festejar o arquivamento, a pedido do Ministério Público Federal, de denúncia contra o colega da bancada do Acre, Gladson Cameli (PP-AC). Ele disse que nunca teve dúvidas sobre da inocência do colega, que era acusado por fatos relacionados à Lava Jato. Gladson é pré-candidato a governador do Acre.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)