Flexa Ribeiro critica ação do Ibama que fechou frigoríficos no Pará

Da Redação e Da Rádio Senado | 30/03/2017, 18h12 - ATUALIZADO EM 30/03/2017, 18h39

O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) disse nesta quinta-feira (30) que apresentará ao Ministério do Meio Ambiente a ideia de estender ao setor de produção animal a atuação de um grupo de trabalho criado no estado para tratar do manejo do setor madeireiro.

Para ele, essa ideia surgiu depois que a Operação Carne Fria, conduzida pelo Ibama, fechou frigoríficos que abateram animais criados em fazendas interditadas por causa do desmatamento. Flexa Ribeiro disse que o agronegócio no Pará sofre por causa de dificuldades impostas pelo próprio governo, que segundo ele não dá condições para que a atuação seja dentro da lei.

Exemplo disso seria a burocracia que representantes do setor têm para obter empréstimos para regularização fundiária na região.

— O Ibama só tem um jeito para resolver esse problema: colocar tornozeleira eletrônica no gado, em cada boi, porque aí ele vai saber onde está o boi, para onde foi o boi, se passou por área de desmatamento.

Rodovias em cidades

O senador também comemorou a aprovação de projeto seu que obriga a separar as vias urbanas das estradas, nos trechos em que as rodovias cortam as cidades. Flexa Ribeiro argumenta que, assim, será possível garantir mais segurança no trânsito aos moradores de cidades nessa situação.

O (PLS) 702/2015 ainda passará por nova votação na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) antes de seguir para análise da Câmara.

— Nos países desenvolvidos, o trânsito local é segregado das vias de trânsito rápido, que são as BRs, por meio de vias paralelas, túneis ou viadutos. É isso o que a gente está propondo.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)