Ronaldo Caiado afirma que manifestações de 13 de março vão mostrar que a população quer mudança

Da Redação | 02/03/2016, 20h31 - ATUALIZADO EM 02/03/2016, 22h34

O dia 13 de março será um dia “emblemático” para o Brasil, na opinião do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO). Em discurso no Plenário nesta quarta-feira (2), o senador afirmou que a sociedade brasileira acordou e passou a ter noção do momento grave que o país enfrenta. Por isso, resolveu ir às ruas em uma grande manifestação pela saída da presidente Dilma Rousseff.

Para Caiado, a sintonia nesse movimento previsto para o dia 13 é maior dos que os ocorridos anteriormente porque a população está sentindo, em seu dia-a-dia, o desemprego, a violência e a crise econômica que afeta o país. Ele afirmou que a manifestação contará não apenas com representantes dos movimentos sociais, mas também com apoio da classe política, incluindo integrantes da base aliada ao atual governo, e com uma gama maior de setores da sociedade civil.

— Será um dia em que vamos assistir a uma reação da sociedade brasileira, dizendo, em alto e bom som, que não admite aquilo que está acontecendo. É o momento de dizer um basta! É o momento de dizer que todos os cidadãos tenham compromisso com aquilo que é o grande slogan deste movimento: se você não vai para rua, a Dilma fica. Este, sem dúvida, é o mote maior que está levantando a sociedade brasileira para poder se engajar neste movimento de recuperação do país — afirmou.

Caiado disse ainda que o caminho para mudanças substantivas para o país será apontado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em sua avaliação, a comprovação de que houve caixa dois na campanha eleitoral de Dilma em 2014, sobre a qual acredita já ter provas suficientes, pode fazer o Tribunal agir rapidamente, uma vez que a legislação eleitoral impõe prazos curtos, deliberando sobre a cassação da chapa e sobre a antecipação de uma campanha para presidente da República no país.

Neste momento, destacou o senador, os partidos deverão apresentar seus candidatos e promover “o maior debate no país desde a redemocratização” para que digam, com clareza, quais as mudanças necessárias para tirar o Brasil da crise.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)