O que são os transgênicos?

Gorette Brandão | 23/05/2017, 10h33

O transgênico é um organismo que recebe um gene retirado de outro, o que lhe confere uma característica nova.

A depender do gene adicionado, a planta pode se tornar mais nutritiva ou mais resistente à seca, a pragas ou a agrotóxicos.

Os defensores dos alimentos transgênicos dizem que, há mais de 70 anos, pesquisadores usam diferentes técnicas com o objetivo de promover melhoramentos genéticos. Batata, milho e trigo já possuem genes originais de outras espécies.

— O homem modificou os alimentos por cruzamentos, seleções e mutagênese, entre outros processos que alteram o DNA, o material genético das plantas e suas características originais — observa Eduardo Romano, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

O que aconteceu de mais novo na área foi o surgimento da técnica do DNA recombinante, nos anos 70, que abriu novas fronteiras para as pesquisas. A inovadora técnica permite que um gene seja isolado para ser colocado em outra espécie, sem a necessidade de compatibilidade sexual.

Entre os argumentos mais usados a favor da transgenia, está o de que essas técnicas permitirão ampliar a oferta de produtos agrícolas para atender à necessidade de alimentos da crescente população mundial.

Os críticos reagem com a frequente menção de potenciais riscos no médio e no longo prazo dessas culturas para a saúde humana (como o de aumento de alergias e da resistência a antibióticos) e para o meio ambiente (como o uso de substâncias tóxicas e radiação).

— Recentes estudos, feitos inclusive na Comunidade Europeia, não descartam riscos na produção e consumo de transgênicos — afirma o advogado Maurício Guetta, do Instituto Socioambiental (ISA).

De acordo com Romano, não existe motivo real para qualquer receio. Ele salienta que essa é a posição oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos.

— Com relação aos organismos transgênicos, existe uma regulação muito forte, inclusive no Brasil. Usando o conhecimento científico atual, os estudos apontam que não existem riscos maiores nos produtos transgênicos em comparação com os não transgênicos — afirma o pesquisador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)