Adolescência e o despertar para o exercício da cidadania


Monaísa Laís de Sá Souza

Monaísa Laís de Sá Souza

Entrevista

Pergunta - Já escolheu em que área quer estudar / trabalhar? Tem algum projeto profissional em vista?

Resposta – Planejo cursar Engenharia Civil após concluir o Ensino Médio e, quem sabe, futuramente, tornar-me uma empresária.

P - Você participa de alguma ação social em sua comunidade?

R – Não de maneira sistemática, apenas quando a Igreja e a Escola promovem atividades de ação social.

P - Como você acha que deve ser a participação política dos jovens em sociedade?

R – A participação dos jovens acerca das questões políticas deve ocorrer de maneira constante e efetiva. Sabemos que nós, jovens, somos o futuro da nossa pátria e podemos, através do nosso engajamento político, promover mudanças. Tornando-nos cidadãos mais autônomos, temos a capacidade de promover um futuro muito melhor do que o apresentado no quadro atual.

P - Você conhece alguém que seja inspirador? Por quê?

R – Uma pessoa inspiradora, para mim, é a paquistanesa Malala Yousafzai. Apesar de viver em uma sociedade em que era imposto às mulheres um certo “padrão de vida”, Malala sempre quis ir além, lutando pelo direito à educação das mulheres, proibida pelo regime Talibã. Mesmo depois de sofrer um atentado, continuou lutando pela igualdade, criando a Fundação Malala e hoje é um grande símbolo de proeza entre as mulheres.

P - O que você gosta de fazer no seu tempo livre?

R – Sempre procuro ler algum livro, já que é a minha atividade preferida. Principalmente os de romance, mas também gosto muito de séries diversificadas, como por exemplo, Stranger Things e Game of Thrones.

P - Qual é o seu livro favorito?

R – Um dos meus livros preferidos é “Beleza perdida” de Amy Harmon, um romance dramático que retrata uma história de superação e que traz uma lição de que a verdadeira beleza vai além do físico.

P - Qual o papel de sua família na sua formação?

R – Minha família tem um papel crucial na minha formação, pois desde cedo foram eles, principalmente a minha mãe e o meu pai, que me incentivaram na questão do estudo, provendo os meios necessários e me ensinaram os princípios fundamentais para a pessoa que me tornei hoje.

P - O que a motivou a participar do Jovem Senador 2019?

R – Acho que a maior motivação para participação do concurso veio de mim mesma. Embora tivesse quase certeza de que não iria passar, resolvi fazer para ver se pelo menos passava na seleção para representar a escola... e qual a grande surpresa ao saber que iria representar meu Estado? Foi imensa! Fiquei feliz, não só por ter passado no concurso e poder representar o meu Estado em Brasília, mas também por ter ido além das minhas expectativas.

P - Alguém ajudou a motivá-la para participar do Jovem Senador 2019?

R – Sim, a minha professora de português Elizenice Barros me incentivou. Foi ela quem me apresentou o concurso e procurou engajar os alunos da minha escola a participar.

P - Conte como foi a seleção para o Jovem Senador em sua escola.

R – Três alunos da terceira série foram escolhidos para ir a GRE (Gerência Regional de Educação), a fim de sermos informados sobre o concurso. Tivemos que repassar as informações sobre o concurso aos demais colegas da turma; no entanto, só eu e outro aluno fizemos a redação, sendo que no final a minha foi a escolhida para representar a escola.

P - Como foi a repercussão em sua escola sobre a notícia de sua classificação para o Jovem Senador?

R – Muitos, assim como eu, ficaram surpresos e me parabenizaram (alunos, professores, gestão e funcionários) pela colocação.

P - Cite uma frase que você gosta.

R – Grande é aquele cuja força conquista mais corações pela atração do próprio coração. (R.J. Palacio)

Escola Professor Humberto Soares
Diretor:
Girlane Amara Cavalcanti
Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11