Adolescência e o despertar para o exercício da cidadania


Julio Cesar Marques de Oliveira

Julio Cesar Marques de Oliveira
  • Colocação no estado: 1º colocado estadual
  • Ano de participação: 2019
  • Escola: Colégio Estadual Jornalista Artur da Távola
  • Cidade: Rio de Janeiro - RJ
  • Professor(a): Carla Cristina Silva Fernandes

Entrevista

Pergunta - Já escolheu em que área quer estudar / trabalhar? Tem algum projeto profissional em vista?

Resposta – Sim, eu pretendo cursar Química e Engenharia Química e, posteriormente, realizar pós graduação em Ciências. Meu objetivo profissional é ser cientista e contribuir em alguma área da medicina. Além disso, pretendo ainda, lecionar no ensino superior e no ensino médio. O que me motiva a seguir carreira na ciência é não apenas adquirir conhecimento, mas principalmente utilizá-lo para ajudar as pessoas.

P - Você participa de alguma ação social em sua comunidade? Conte para a gente!

R – Sim, por dois anos participei do grêmio estudantil da minha escola e foi uma experiência excelente.

P - Você já participou de projetos de educação para cidadania? Quais?

R – Sim, eu dei aulas preparatórias para a fase 1 da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas - OBMEP, na minha escola.

P - Você atua e/ou pretende atuar na política com mandato eletivo? É filiado a algum partido político?

R – No momento não atuo nem penso em me candidatar a cargos eletivos, todavia, posso mudar de opinião com a experiência que terei como jovem senador, visto que através da política posso trabalhar em prol do Brasil e da educação.

P - Como você acha que deve ser a participação política dos jovens em sociedade?

R – A participação política dos jovens deve ser elevada, principalmente no que tange ao acompanhamento do orçamento público, pois é através desse mecanismo que os direitos garantidos pela Constituição são concretizados.

P - Você conhece alguém que seja inspirador? Por quê?

R – Sim, o falecido matemático e escritor Júlio César de Melo e Sousa, mais conhecido como Malba Tahan. Na minha opinião Malba Tahan é inspirador, pois além de ter sido um excelente profissional em sua área de atuação, acreditava que a matemática poderia ser ensinada e aprendida de forma divertida e simples. Isso é perceptível, principalmente, em suas obras literárias, como “O Homem que Calculava”, que no decorrer da história o personagem Beremiz, extremamente habilidoso em matemática, se depara com diversas situações-problema as quais resolve utilizando a matemática. Com essa maneira de apresentar a matemática, o aprendizado dessa disciplina ficou muito divertido. Na verdade, todas as disciplinas podem ter seu ensino e aprendizado tornados mais interessantes.

P - Qual o seu hobby?

R – Eu gosto muito de ler e de praticar kung fu.

P - Qual é o seu livro favorito?

R – Um dos meus livros preferidos é “O Tesouro de Bresa”, de Malba Tahan.

P - Qual o papel de sua família na sua formação?

R – Meus pais são a base da minha formação. Meu pai e minha falecida mãe não tiveram a oportunidade de estudar, mas sempre me incentivaram a focar nos estudos.

P - O que o motivou a participar do Jovem Senador 2019?

R – Eu sempre tive vontade de conhecer Brasília e, além disso, ter a oportunidade de participar de um programa pioneiro como o Jovem Senador e vivenciar o processo legislativo brasileiro foram os motivos que me levaram a participar do Concurso.

P - A redação foi uma atividade opcional ou inclusa em alguma disciplina de sua escola?

R – Na verdade, a minha professora orientadora intensificou a preparação em redação nas turmas de terceiro ano que ela leciona e, como sou seu aluno, tive uma excelente preparação em redação. A partir disso, manifestei meu interesse em participar do Concurso e fui orientado por ela.

P - Alguém ajudou a motivá-lo para participar do Jovem Senador 2019?

R - Sim, o meu pai, meus professores, a direção da minha escola. Na realidade, todos com que comentei meu interesse em participar do Concurso acreditaram no meu potencial e me incentivaram a enviar minha redação.

P - Como foi a repercussão em sua escola sobre a notícia de sua classificação para o Jovem Senador?

R – Quando recebi a notícia através de um telefonema de que fui o primeiro colocado do estado do Rio de Janeiro, não perdi tempo e dei a notícia ao meu pai e à minha professora orientadora. No dia seguinte, ao chegar à escola, os funcionários, professores, colegas que souberam da notícia me parabenizaram e ficaram muito felizes com essa conquista.

P - Cite uma frase que você gosta.

R – “Lembre-se de que as pessoas podem tirar tudo de você, menos o seu conhecimento” (Albert Einstein)

 

Colégio Estadual Jornalista Artur da Távola
Diretor:
Claudinei Moreira de Jesus
Professor orientador:
Carla Cristina Silva Fernandes
Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11