Cidadão que acompanha o orçamento público dá valor ao Brasil


Pedro Manoel de Souza Silva Neto

Pedro Manoel de Souza Silva Neto
  • Colocação no estado: 1º colocado estadual
  • Ano de participação: 2016
  • Escola: Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dr. Hortênsio de Sousa Ribeiro - PREMEN
  • Cidade: Campina Grande - PB
  • Professor(a): Lusinete Lima Bezerra
  • Cargo na Mesa Diretora:Presidente

Uma frase que gosta: Vai então um poema de um brasileiro que sempre que preciso me deleito em seus versos: “Isso de querer ser exatamente aquilo que a gente é ainda vai nos levar além.” - Incenso fosse música, de Paulo Leminski

 

Meu perfil...

O Jovem Senador da Paraíba é uma daquelas figuras que encantam com as palavras e sabem exatamente o que querem dizer. Pedro Manoel ainda tem dúvidas se seguirá o curso de Direito ou de Letras (Português), mas de uma coisa tem certeza – “vou me encontrar com a sala de aula”.

Pretende fazer mestrado e doutorado na área dos Direitos Humanos e fala da importância que foi o encontro com seu professor de Geografia do 2º ano do Ensino Médio: “Encontrei um professor de Geografia que muito colaborou para que hoje eu fosse o Jovem Senador pelo meu estado. Suas aulas eram sempre muito reflexivas. É o que chamo de aulas dialogadas, depois de ter conhecido Paulo Freire e sua pedagogia. Ao término de uma de suas aulas, me aproximei dele e pedi: professor, eu gostaria de ler sobre política e educação. Ele, prontamente, foi citando as indicações. Dentre elas estavam nomes como Paulo Freire, Zygmunt Bauman, Norberto Bobbio e István Mészáros. Daquela lista, comecei por Paulo Freire em Pedagogia do Oprimido. Li o livro em poucos dias. Fiquei encantado com as ideias ali desenvolvidas, com o cenário no qual foi escrito, o quanto detalha sobre a urgência de criar uma educação que liberte, dê autonomia e possibilite o educando ler o mundo e ser autor da sua própria história. Assim, descobri que muitas das ideias desenvolvidas pelo patrono da educação brasileira em suas obras já eram questionamentos meus, envoltos no senso comum. Uma nação mais justa e igualitária se constrói através de uma educação que dê perspectivas de vida ao sujeito para além da mecanização do trabalho humano”.

Sobre projetos e o futuro Pedro Manoel tem largos horizontes. “Considero as pessoas sonhadoras ousadas. Eu me permito ser ousado. Eu sonho muito. Entretanto, não podemos alimentar sonhos como ilusão. É preciso, antes de tudo, acreditar. Precisamos descobrir e construir, ainda no presente, caminhos que nos levem ao encontro deles. Deve haver uma linha de ligação entre o presente, o futuro e os nossos sonhos. Eu tenho um projeto de futuro que pensa não só em meu sucesso ou nas minhas conquistas pessoais, mas que através delas eu possa contribuir na busca e na construção de uma pátria mãe mais justa e igualitária em direitos e oportunidades para os seus filhos e suas filhas. Pretendo, assim que concluir o ensino médio, ingressar na universidade. Esse é o meu primeiro objetivo a ser alcançado em curto prazo. No mais, aspiro muito em criar uma biblioteca comunitária em meu bairro, me engajar em outras esferas, além da estadual, de atuação do movimento estudantil, terminar de escrever meu livro e publicá-lo, investir, pela educação, em minha formação pessoal para atender os requisitos das áreas de atuação nas quais desejo trabalhar, ser fluente na língua inglesa e, por fim, conhecer os países latino-americanos e suas diversidades culturais”.

 

Atuação em projetos comunitários

O Jovem Senador é muito atuante em sua escola e na comunidade. No Conselho Municipal de Juventude, desenvolve o papel de formulador e reivindicador de políticas públicas e ações do estado para as juventudes da zona urbana e da zona rural, do centro e da periferia. Participa também do Grêmio Estudantil de sua escola, na qualidade de fundador e atualmente como Secretário-Geral: “Nós promovemos intercâmbios nas escolas estaduais de Campina Grande que visam a promoção do protagonismo juvenil e a criação de novas entidades representativas, pois acreditamos que a escola também é um espaço de atuação e vivência política”.

Recentemente, Pedro Manoel foi convidado e passou a ser voluntário de um cursinho pré-vestibular solidário para jovens no distrito de São José da Mata, em Campina Grande, onde ministra aulas sobre redação e atualidades voltadas para o ENEM.

Quanto a projetos voltados para a formação cidadã, o Jovem Senador da Paraíba tem uma ótima experiência: “Participei em 2015, na escola em que estudo, de um projeto de extensão do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande. O projeto Cidadania Ativa discutia diferentes e vastas temáticas de ordem social e política do nosso interesse, que ia desde as problematizações sobre gênero e sexualidade à reforma política, da descriminalização e legalização das drogas à questão do aborto em nossa sociedade, tendo em vista, sempre, a promoção do debate saudável, plural e democrático”.

 

Falando de participação política...

Com tantas atividades, Pedro Manoel ainda encontra tempo para outras ações de cidadania e de participação política. Em junho deste ano, foi eleito, em sua escola, vice-presidente da Associação dos Estudantes Secundaristas da Paraíba – AESP. Ocupa, ainda, a cadeira de representante de Movimento Estudantil Secundarista no Conselho Municipal de Juventude de sua cidade, Campina Grande, e pensa na possibilidade de futuramente disputar um cargo representativo eletivo.

Quanto à participação política de outros jovens, Pedro acha que deve ser ampla e irrestrita. “Há uma descrença significativa e assustadora entre os jovens na política atualmente. Isso se dá pela generalização de que a política é corrupta e nenhum político é honesto. Trabalho cotidianamente chamando os jovens para o diálogo e mostrando o quanto a política está presente, mesmo que nós a negamos, em nossas vidas, nas nossas relações pessoais, familiares e profissionais. É preciso reconquistar a juventude para a participação e atuação política”.

Como figura pública de destaque, Pedro Manoel indicou o Presidente Lula. “Admiro muito o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela sua trajetória de vida e o quanto a sua passagem pela presidência da república foi significativa para a expansão da educação básica e técnica, das universidades e dos institutos federais; além do programa Bolsa Família, que foi capaz de promover uma verdadeira revolução social em nosso país, reduzindo o índice de mortalidade infantil e tirando milhões da extrema pobreza”.

 

Dos tempos para descansar...

Embora não tenha muitas horas de folga, o Jovem Senador paraibano tem três hobbies principais: “Ler, dentre todos eles, é o principal. Leio de trabalhos acadêmicos a literatura de cordel. Escrever é outra grande paixão minha. Sou muito diverso quanto a gêneros textuais, mas prefiro tecer, preferencialmente, crônicas, contos e outras narrativas, quase sempre com abordagens de cunho político e/ou social. Cozinhar também me deixa muito feliz e faz aquele tempo livre valer à pena. Quando possível, reúno os amigos e as amigas e assumo o post de ‘masterchef’ da turma. São momentos únicos de socialização, sabores e diversão!”.

Seu livro favorito é “Meu pé de laranja lima”, do escritor brasileiro José Mauro de Vasconcelos. “Essa obra representa muito para mim, pois, além da história me emocionar do começo ao fim, foi o meu primeiro livro lido, lá atrás, ainda no ensino fundamental. Indicação do meu professor de língua portuguesa, o mestre Carlos Agra, por quem nutro profunda admiração e respeito. Outra obra que muito me emocionou, lida recentemente, foi Outros Cantos, da escritora santista e paraibana por adoção, vencedora do prêmio Jabuti em 2015, Maria Valéria Rezende”.

Quanto à preferência musical, MPB de todos os tempos. “Como nordestino apaixonado pela cultura da minha região e do meu estado, tenho que elencar o forró, o som que dá sentido e vida. O maior São João do mundo, a tradicional festa que enobrece e projeta Campina Grande e a Paraíba para o Brasil e o mundo”.

Sobre sua família, o Jovem Senador Pedro Manoel é só carinho e agradecimento: “Tenho uma família muito unida, que me ama muito. Em minha casa, moro apenas com minha mãe e sou o 8º filho de um comerciante do Mercado Central de minha cidade. Tenho uma tia materna e nosso laço afetivo é muito forte e intenso, como de um filho para com a mãe. Ela é, junto a minha mãe, uma das grandes incentivadoras e investidoras na minha educação. O que nos une é o amor. Eu espero retribuir e honrar a todos e todas que acreditam e se doam pela minha felicidade, bem-estar e realização pessoal”.

 

Do desejo de participar como cidadão

Desde 2013, ainda no 9º ano do Ensino Fundamental, Pedro Manoel soube do Projeto Jovem Senador e, mesmo não tendo ainda noções tão detalhadas sobre o funcionamento do Congresso Nacional, já alimentava a vontade de um dia representar o seu estado em Brasília. Em 2015, participou da seleção para o projeto Parlamento Jovem Brasileiro, realizado pela Câmara dos Deputados, mas não obteve êxito. Nesse momento, ficou sabendo do Jovem Senador e contou com o apoio de sua professora de Língua Portuguesa – “Ela, prontamente, reforçou o convite e disse que começaria a construir as discussões temáticas assim que recebesse o material enviado pelo Senado, mas recomendou-me, como eu já vinha fazendo, a pesquisar sobre a temática em livros e na internet e ir desenvolvendo ideias para serem transformadas no futuro texto”.

O Jovem Senador paraibano tem opinião muito própria sobre o que é participação política e a importância dos jovens estarem cientes de seu papel em sociedade: “Participo do Jovem Senador porque alimento sonhos coletivos. Eu acredito na política como instrumento de transformação social. Como ferramenta de mudança de vida. Muito me preocupa o desligamento e crescente afastamento dos jovens às discussões e atividades políticas. A criminalização da política desliga as pessoas do debate, da discussão e da construção. A criminalização da política é algo perigoso, pois isso significa a abertura de espaço para o autoritarismo. Impede o exercício da cidadania e isso não é saudável para a democracia”.

“A política é, para mim, um ato de doação, de entrega. Eu acredito que é através dela e somente por ela que podemos superar os percalços de ordem social e ética dos nossos tempos. Eu não consigo, jamais, legitimar a pobreza, a fome, a miséria, a falta de educação pública e de qualidade como questões naturais. Eu não consigo aceitá-las com tranquilidade e passividade. O que me motivou a ousar participar do Jovem Senador foi essa crença, essa vontade de adentrar, por meio da política, na vida das pessoas que mais precisam e dar a elas novas perspectivas. Como Jovem Senador, vou ter a oportunidade de propor, discutir e votar projetos de lei. São pequenas, mas poderosas sementes germinadas. A história vai registrar. Tenho certeza que essa primeira passagem pelo Senado na condição de Jovem Senador vai representar muito para o meu estado da Paraíba e para a minha trajetória de vida em constante construção”.

Com um post it colado no guarda-roupa, marcando a data da divulgação do resultado, Pedro Manoel aguardava os nomes vencedores do Jovem Senador 2016 e não se conteve de alegria ao receber o telefonema de Brasília em seu celular: “Estava terminando algumas atividades escolares quando o celular tocou. Um número diferente e a tela diziam de onde vinha: Brasília, Distrito Federal. Já atendi nervoso e sem controle da emoção. Era tão intenso o que eu estava sentindo que pulava, ria e chorava ao mesmo tempo. É indescritível escutar um: ‘Você é o Jovem Senador da Paraíba’ - Valeu a pena!. Quando falei ao meu pai que iria a Brasília como Jovem Senador, ele riu e disse: vai ser político mesmo”.

Na escola, Pedro Manoel já não é mais chamado pelo nome, já é considerado senador. O orgulho de toda a comunidade escolar é grande e especialmente a sala do Grêmio Estudantil não para de receber visitas. “Era cumprimentado e abraçado a todo instante. É algo muito bom. Sinto que as pessoas acreditam em mim. Apostam na minha juventude e na minha capacidade de liderar e articular. No Senado, vou me doar integralmente para honrar todos e todas aqueles/as que confiam em mim”.

Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dr. Hortênsio de Sousa Ribeiro - PREMEN
Endereço: Telefone:
(83) 33107197
Diretor:
Marcos Antonio Ferreira da Silva
Professor orientador:
Lusinete Lima Bezerra
Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11