Brasil plural: para falar de intolerância


Release

Professor orientador do JS 2016 desenvolve projeto para diminuir a evasão escolar e valorizar a diversidade humana no ambiente escolar

Francis Lobo, professor orientador da Jovem Senadora Marina Vivianne Carcasolla, JS2016, pelo Estado de São Paulo, desenvolve desde 2014 o projeto “Humanizar é preciso”, na Escola Técnica Padre Carlos Leôncio da Silva, da cidade de Lorena-SP, que tem por objetivo melhorar o rendimento, diminuir a retenção e a evasão escolar e, principalmente, resgatar valores humanos que proporcionam a melhor convivência entre alunos, professores e membros da comunidade escolar.

O professor Francis Lobo é responsável pelo desenvolvimento do projeto e acredita que a iniciativa pode resgatar o verdadeiro significado da palavra “humanizar”, promovendo a prática da cidadania e melhorando a convivência entre os alunos e toda a comunidade escolar.

- Em face da convivência diária e integrada e dos problemas de relacionamento humano, buscamos, com o presente projeto, despertar nos alunos o respeito ao ser humano em todas as situações de diversidade. A convivência saudável entre os alunos de toda a Unidade Escolar proporciona um ambiente de melhor aprendizado. É preciso humanizar urgente – com ações que despertem o verdadeiro crescimento do ser humano. A escola é lugar de humanização e educação. É necessário acolher para não perder. – defende Francis.

Em três anos de atividade, o projeto é um sucesso e conseguiu atingir suas principais metas, entre elas a redução de 50% nas taxas de evasão escolar e de alunos na progressão parcial e um aumento de 50% nos projetos interdisciplinares.

O projeto é realizado anualmente, nos meses de agosto a outubro, e prevê a ação coordenada de várias disciplinas como Sociologia, Filosofia e História, com a realização de “rodas de conversa” e outras “ações sociais coletivas”, levando os alunos a discutirem e analisarem questões que permeiam o ambiente escolar como, por exemplo, homofobia, racismo, bullying, preconceitos e intolerâncias. As atividades são realizadas coletivamente, coordenadas por grupos de alunos das séries finais (alunos monitores) e propiciam debates, dinâmicas de grupo e plano de ação na escola. Ao final dos trabalhos, ainda em 2017, todos os participantes já iniciam a construção da edição de 2018 do “Humanizar é preciso”.

- Trata-se de uma ação que visa diminuir os indicadores de evasão e as progressões parciais no Ensino Médio Integrado, de modo a proporcionar reflexões sobre os melhores caminhos para a convivência humana diária, com menos conflitos e marcada pelo respeito às diversidades. – explica o professor.

O projeto conta com o apoio da Direção da Escola Padre Carlos Leôncio da Silva e a colaboração das professoras Adriana Aparecida Palmeira Galvão de França, orientadora educacional e responsável pela condução das atividades no Curso Técnico Regular e Ester Carolina Gomes Luiz de Paula, coordenadora pedagógica.

- Diante de um mundo tão preconceituoso e das diversidades, o projeto “Humanizar é Preciso" traz para dentro da comunidade escolar uma conscientização de que as lutas por igualdade e respeito às diferenças têm sido constantes em vários setores da sociedade, entre eles, e talvez o mais importante, encontra-se o ambiente escolar, que se apresenta como o lugar da mudança, das falas diversas, do universo em transformação e de um dever que nos espera cotidianamente. Os temas tratados no projeto vão desde as discriminações de gênero, étnico-racial e por orientação sexual, intolerância, religiosa e política, a igualdade de direitos, entre outros são formas de preconceitos que se apropriam das falas e atitudes das pessoas no espaço escolar e por isto precisam ser trabalhados de forma crítica e humanizada por professores e alunos como este projeto propõe. – afirma Ester Carolina.

 

Metodologia e modelo compartilhado

A metodologia adotada para o desenvolvimento do projeto, bem como o sistema de avaliação e controle, incluindo formulários e questionários, são compartilhados com todos os profissionais interessados em conhecer o trabalho pelo professor Francis Lobo e equipe. O conteúdo também ficará disponível no site do Jovem Senador, no espaço “Mestres em ação”, para livre consulta. Os interessados em conhecer melhor o projeto podem entrar em contato diretamente com o professor Francis que se dispõe, inclusive, a visitar as escolas interessadas em desenvolver o projeto.

Para Francis, o tema do Jovem Senador 2017 – “Brasil plural: para falar de intolerância”, não podia ser mais propício para ajudar na discussão e reflexão do projeto “Humanizar é preciso”.

- Em Brasília, após o anúncio do tema do Jovem Senador 2017, fiquei surpreso e emocionado com a possibilidade de trabalhar a questão da intolerância e suas múltiplas formas, pois é um tema atual, que nos afeta diariamente e que precisamos inserir na agenda escolar. Enxergar o problema é o primeiro passo para enfrentarmos e superá-lo. Nossos jovens querem aprender e o Jovem Senador é uma boa oportunidade de despertar para a participação cidadã. - acredita Francis.

 

Projeto "Humanizar é preciso":

  • Coordenador: professor Francis Fernando Lobo
  • Telefones: (12) 98198-1669 e (12) 3144-7820
  • E-mail: francisfernandolobo@hotmail.com e francis.lobo@etec.sp.gov.br

 

Serviço:

 

    IMPRIMIR | E-MAIL Compartilhar: Facebook | Twitter | Google+ | Pinterest

    Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11