Vai à Câmara projeto que permite cancelar serviço telefônico por telefone ou internet

Da Redação | 08/03/2016, 12h17 - ATUALIZADO EM 08/03/2016, 14h13

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) aprovou nesta terça-feira (8) projeto (PLS 224/2014) que garante a usuários o direito de cancelar os serviços de telecomunicações por telefone ou internet. A medida vale, entre outros, para serviços de telefonia fixa ou celular e de TV por assinatura.

Como é terminativo, o projeto segue diretamente para a Câmara dos Deputados caso não haja recurso para votação no Plenário do Senado.

Para o autor do projeto, senador Eduardo Amorim (PSC-SE), os usuários das empresas de telecomunicações pagam caro por um serviço de baixa qualidade e, quando querem cancelá-lo, são submetidos a dificuldades impostas pelas empresas, como a exigência de atendimento presencial para o encerramento do contrato.

O relator na CCT, senador Lasier Martins (PDT-RS), avaliou que a proposta garantirá indiretamente aos consumidores meios eficientes de cancelar seus planos de telefonia e internet.

“Evita-se que dificuldades como a necessidade de deslocamento até um posto de atendimento da prestadora — nem sempre disponível na localidade de residência do usuário — impeçam ou adiem a rescisão contratual, gerando custos desnecessários aos consumidores”, acrescenta ele.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
22h41 Impeachment: Ricardo Lewandowski disse que não haverá o intervalo programado para as 23h na sessão de julgamento, pois o número de senadores que devem inquirir a testemunha é reduzido. Além de Vanessa Grazziotin, há cinco inscritos.
22h31 Impeachment: A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) questiona o ex-auditor do TCU Antônio Carlos D'ávila Carvalho, testemunha de acusação. Além dela, mais cinco senadores devem inquiri-lo, disse o presidente da sessão, Ricardo Lewandowski.
21h44 Impeachment: Antônio Carlos Costa D'Ávila Carvalho, ex-auditor fiscal de controle externo do TCU, passa a ser ouvido na qualidade de testemunha de acusação. O primeiro a inquiri-lo é o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).
Ver todas ›