Senadores repercutem naufrágio de navio no Amapá

Da Redação | 03/03/2020, 12h33

O naufrágio de um navio de médio porte no Amapá, no sábado (29), repercutiu entre os senadores do estado nas redes sociais. A embarcação Anna Karoline III saiu de Santana (AP) em direção a Santarém (PA), com cerca de 70 pessoas a bordo, mas naufragou e deixou mortos, feridos e desaparecidos. Até a manhã desta terça-feira (3), 13 corpos haviam sido encontrados e 23 pessoas continuavam desaparecidas. 

Na segunda-feira (2), o presidente da Senado e do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre, postou nas redes sociais que, tudo que estiver ao alcance será feito, mas a prioridade deve ser primeiramente o suporte às vítimas e aos familiares. Para ele, “não faz sentido politizar a tragédia”.

“Sigo em contato com as autoridades (locais e nacionais) acompanhando com preocupação e tristeza os desdobramentos do naufrágio no Sul do Amapá”, escreveu Davi. 

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) se pronunciou pelas redes sociais no dia do ocorrido e destacou a necessidade de segurança nos rios. 

“Sábado começou com a triste notícia do naufrágio de um navio no Amapá. Algumas mortes foram confirmadas. Equipes de salvamento trabalham no resgate das vítimas. As causas são apuradas, mas insistimos na necessidade de segurança nos nossos rios.”

Já na segunda-feira (2), Randolfe protocolou dois requerimentos sobre o assunto: o REQ 4/2020, que solicita a realização de audiência pública conjunta entre a Comissão de Desenvolvimento Regional (CDR) e a Comissão de Fiscalização e Controle (CTFC) com o objetivo de debater os meios e a efetividade da fiscalização de embarcações no Amapá; e o REQ 13/2020, que solicita uma audiência com o Comando da Marinha para acompanhar de perto as investigações e a instalação do inquérito em decorrência do naufrágio.

O senador também apresentou Projeto de Fiscalização e Controle (PFS) para apurar, com o auxílio do Tribunal de Contas da União (TCU), a fiscalização de embarcações no Amapá. 

“Continuamos na mobilização para evitar que o naufrágio que ocorreu com o Anna Karoline III volte a acontecer. Trata-se de assunto de interesse público, já que desde 2013 venho denunciando a falta de fiscalização de embarcações como principal propiciadora de tais tragédias, a exemplo do naufrágio da embarcação Reis I o qual fiz questão de apontar em Plenário. Seguiremos acompanhando de perto e fazendo o possível para que os danos sejam reparados e os culpados não saiam impunes por esse crime”, defende Randolfe.  

O senador Paulo Albuquerque (PSD-AP) também usou as redes sociais, no dia do naufrágio, para falar sobre o assunto. 

“Ainda há pouco tivemos notícias sobre o naufrágio da embarcação Anna Karoline que ia de Santana (AP) para Santarém (PA). Continuamos aqui, junto às autoridades e demais instituições envolvidas, em uma corrente de solidariedade e oração para que logo tenhamos notícias positivas quanto aos desaparecidos e demais passageiros. É importante que todos aqueles que nas proximidades do local do acidente possam engajar-se nas buscas e resgate”, disse.

Morgana Nathany com supervisão de Sheyla Assunção 

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
18h25 Suicídio entre policiais: O Senado aprovou, por unanimidade, a criação de ações de prevenção ao suicídio entre policiais no âmbito do Pró-Vida, programa de qualidade de vida na segurança pública (PL 4.815/2019). O projeto vai à Câmara.
17h11 Imposto de Renda: Foi aprovado, com alterações, o PL 639/2021, que prorroga até 31 de julho o prazo da entrega da declaração do Imposto de Renda do exercício de 2021, ano-calendário de 2020. O texto volta à análise da Câmara.
16h35 Saúde mental: Foi retirado de pauta o PL 2.083/2020, a pedido do relator, Humberto Costa (PT-PE). O projeto prevê a criação, no âmbito do SUS, de programa de atenção à saúde mental em razão do isolamento causado pela epidemia de covid-19.
Ver todas ›