Plenário aprova indicações para Conselho Nacional do Ministério Público

Da Redação | 17/09/2019, 21h10

O Plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (17) as indicações das advogadas Fernanda Marinela de Sousa Santos e Sandra Krieger Gonçalves para compor o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por um mandato de dois anos. Ambas foram indicadas pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Por 56 votos a favor e cinco votos contrários foi aprovada a indicação de Fernanda Marinela de Sousa Santos. Ela integra o Conselho da OAB pelo estado de Alagoas, e é também coordenadora de Comunicação da instituição. Entre 2016 e 2018 ela foi presidente da seccional alagoana da Ordem. É presidente e fundadora do Instituto Cultural para a Difusão do Conhecimento Jurídico (Injur), em Maceió (AL), e professora no Instituto LFG. Também lecionou na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e na Fundação Escola do Ministério Público do Estado de Alagoas (Fesmpa) e ministrou cursos em tribunais pelo país.

Na sua sabatina na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), realizada no início de julho, Marinela foi questionada sobre a necessidade de um Código de Ética para o CNMP. Ela afirmou que o órgão precisa aperfeiçoar suas resoluções no que diz respeito ao controle disciplinar.

— O controle administrativo, o controle disciplinar e a responsabilização para aqueles que agem com excesso é um papel muito importante para o Conselho Nacional do Ministério Público. É importante dizer que em um Estado democrático de direito ninguém pode estar acima da lei.

Santa Catarina

Já a advogada Sandra Krieger Gonçalves, aprovada por 52 votos a favor, um contrário e uma abstenção, integra o Conselho da OAB pelo estado de Santa Catarina, e atua como representante institucional da entidade junto ao CNMP desde setembro de 2017. Ela é formada em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com doutorado pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali). É professora na Universidade Regional de Blumenau (Furb), fundadora do Instituto de Direito Administrativo de Santa Catarina (Idasc) e também atua na advocacia privada. Já foi procuradora-geral do município de Blumenau (SC) e da Câmara Municipal da cidade.

Krieger também foi sabatinada na CCJ em julho. A advogada defendeu a busca de um equilíbrio na atuação do CNMP entre zelar pela autonomia do Ministério Público e vigiar a conduta de seus membros.

— Não há que se perder o foco de que a atuação do Conselho Nacional do Ministério Público é, sim, de preservação da disciplina e do decoro, mas, de um outro lado, de elevação e de reconhecimento ao Ministério Público nacional, que faz um papel fundamental para a sociedade democrática brasileira — disse ela na ocasião.

Os membros do CNMP são nomeados pelo presidente da República, após serem aprovados pela maioria absoluta dos membros do Senado Federal. O mandato é de dois anos, permitida uma recondução. Na composição do Conselho, dois membros devem ser advogados, indicados pelo Conselho Federal da OAB.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
12h39 Partilha do pré-sal: A Comissão de Assuntos Econômicos aprovou o projeto que define as novas regras para partilha da arrecadação com o leilão de petróleo do pré-sal. O PL 5.478/2019 vai ao Plenário com urgência.
12h07 Capital Nacional dos Atiradores : A Comissão de Educação aprovou o Projeto de Lei 4.674/2019, que nomeia Jaraguá do Sul (SC) como a Capital Nacional dos Atiradores. A matéria segue para o Plenário.
12h01 Dedução no imposto de renda: Comissão de Educação aprovou o Projeto de Lei 5.103/2019 que prorroga até 2024 a dedução no IR de valor investido em obra audiovisual. A matéria segue para a CAE.
Ver todas ›