Paim se solidariza com vítimas de ciclone na África e cobra ações para mitigar mudanças climáticas

Da Rádio Senado | 01/04/2019, 16h41

Ações humanas são diretamente responsáveis pelo aquecimento global, afirmou o senador Paulo Paim (PT-RS) nesta segunda-feira (1º) em Plenário. Ele mencionou relatório da Agência de Meteorologia da Organização das Nações Unidas (ONU), segundo o qual as mudanças climáticas são cada vez mais extensas.

Para o senador, as devastações ligadas ao clima têm prejudicado especialmente as pessoas mais pobres e vulneráveis. Ele mencionou o ciclone Idai, que no dia 15 de março atingiu o Sudeste da África, atingindo mais de dois milhões de pessoas em Moçambique, Malawi e Zimbábue. Os últimos números apontam para quase mil mortos, além de centenas de milhares de pessoas desabrigadas e ilhadas em meio à enchente. A segunda maior cidade de Moçambique, Beira, foi praticamente destruída. Neste momento, lembrou Paim, uma epidemia de cólera atinge as vítimas do ciclone.

Ele cobrou das autoridades de todo o mundo, incluindo as brasileiras, medidas para reduzir a emissão de gases do efeito estufa, responsáveis pelo aumento da temperatura na Terra.

— Em 2018, foram 35 milhões de pessoas afetadas por enchentes em todo o mundo, 821 milhões de pessoas desnutridas devido à seca, 2 milhões de deslocados devido a desastres naturais, e 1.600 mortos por ondas de calor e queimadas — alertou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
18h44 Acordo com Banco Asiático: Senado aprovou Projeto de Decreto Legislativo 336/2020, que aprova acordo do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura. A matéria vai à promulgação.
18h38 Transferência de recursos para estados: O Senado adiou a votação do PLP 133/2020, que transfere recursos da União a estados e municípios por perdas com a Lei Kandir.
17h17 Salário-educação para pagamento de pessoal: Senado aprovou o Projeto de Lei 2.906/2020, que autoriza uso dos recursos do salário-educação para pagamento de pessoal durante o estado de calamidade. A matéria vai à Câmara dos Deputados.
Ver todas ›