Políticos do Entorno do DF defendem medida provisória que autoriza criação de região metropolitana

Da Redação | 28/03/2019, 14h55

Prefeitos, vereadores e secretários de municípios do Entorno do Distrito Federal defenderam a aprovação da Medida Provisória 862/2018, que autoriza o DF a instituir uma região metropolitana. A proposta foi tratada numa audiência pública nesta quinta-feira (28) na comissão mista responsável por analisar o assunto.

No plenário lotado, os representantes das cidades evidenciaram as carências das prefeituras mineiras e goianas, principalmente, nas áreas de saúde, transporte e segurança.

— Temos na região 10 cidades que estão entre os 100 com maior índice de vulnerabilidade social do país. Vivemos a realidade de uma região com renda per capita 13 vezes menor que a do Distrito Federal — disse o prefeito de Águas Lindas de Goiás, Hildo do Candango, ao defender a MP.

Ausência de governadores

O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) lembrou que Brasília foi concebida para ser uma cidade administrativa com 500 mil habitantes e hoje virou uma metrópole com 3 milhões de pessoas. O parlamentar lamentou a ausência dos governadores. Segundo ele, não haverá desenvolvimento, se não houver integração entre os governos estaduais. Os governadores Ibaneis Rocha (DF) e Ronaldo Caiado (Goiás) foram convidados para a audiência pública, mas enviaram representantes. O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, também foi convidado, mas não enviou ninguém para representá-lo.

— Não dá para aprovar uma medida dessa sem conversar com os governadores. Não podemos perder essa oportunidade, porque quem já foi gestor sabe a importância dessa MP. Os governadores precisam sentar e discutir isso com mais carinho, porque quem sofre são os moradores — afirmou Izalci.

Divergência

O secretário de Planejamento de Goiás, Pedro Henrique Ramos, foi o único a questionar a medida provisória. Ele disse temer a subtração da autonomia administrativa dos prefeitos das cidades mineiras e goianas em detrimento da deliberação do governo do DF.

— O estado de Goiás não é contra a formação da região metropolitana. Não estamos de acordo é com a concepção original do texto. É preciso amadurecê-lo sob o aspecto da governança e gestão, para que os municípios não fiquem tão sujeitos ao comando da metrópole, neste caso, Brasília — afirmou.

Outro entrave, disse Ramos, é um possível questionamento da constitucionalidade da MP, visto que seria necessário alterar a Constituição para se criar uma região metropolitana envolvendo dois estados.

O deputado João Campos (PRB-GO) rebateu, alegando que a MP 862 não cria a região metropolitana, tampouco define os municípios limítrofes que a integrarão. Isso será feito por leis complementares locais, que precisam ser aprovadas pelos legislativos estaduais. Por isso, há somente alteração na Lei 13.089, de 2015, conhecida como Estatuto da Metrópole.

Esperança

A MP 862 foi editada no fim do governo Michel Temer, que, ao enviá-la ao Congresso, disse ser notória a desigualdade orçamentária entre os municípios limítrofes e o Distrito Federal, o que causa a procura, pela população do Entorno, dos serviços públicos prestados por Brasília.

"Tal situação impossibilita o planejamento e aplicação racional dos recursos públicos dos estados, municípios e Distrito Federal, causando prejuízos diretos à população [...] A criação de uma região metropolitana nos municípios dos estados de Goiás ou Minas Gerais limítrofes ao Distrito Federal permitiria maior racionalidade na aplicação dos recursos públicos, propiciando o efetivo atendimento das necessidades dessa população", justificou o Poder Executivo.

Relatoria

O relator da MP, deputado José Nelto (Pode-GO), disse que não pretende deixar que a medida perca a validade e prometeu trabalhar em conjunto com as bancadas de Minas, Goiás e do DF para aprovar um texto que ajude e "dê vida à região".

— A separação entre Brasília e os outros municípios é apenas uma linha imaginária, daí a necessidade de uma ação em conjunto — afirmou.

Ele prometeu tomar todos os cuidados para que seu relatório não passe por cima da Constituição e nem tire autonomia dos municípios. O presidente da comissão mista, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), informou que o colegiado tem até o dia 23 de abril para encaminhar o parecer para a Câmara dos Deputados. Só depois, a MP 862 será votada pelo Plenário do Senado.

No fim da reunião, a senadora Leila do Vôlei (PSB-DF) disse que apresentará requerimento para nova audiência pública com os governadores para tratar da região metropolitana do Entorno.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
16h17 Danos ambientais: Comissão de Meio Ambiente (CMA) aprovou o Projeto de Lei (PL) 1.396/2019, pelo qual será obrigatória a reparação por danos ambientais que envolvam operações de forças policiais e corpo de bombeiros. A matéria segue para a CCJ
16h16 Produtos de origem animal: A Comissão de Meio Ambiente (CMA ) aprovou o Projeto de Lei 2.104/2019, que estende subvenção econômica para produtos extrativos de origem animal. A matéria segue para a CRA e a CAE.
16h15 Semiárido: A Comissão de Meio Ambiente (CMA) aprovou o Projeto de Lei da Câmara 78/2019, que modifica a área definida como Semiárido. A matéria segue para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).
Ver todas ›