Sancionado reajuste de ministros do STF

Da Redação | 26/11/2018, 19h30

O presidente Michel Temer sancionou nesta segunda-feira (26) a lei que reajusta os salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

A nova lei eleva os subsídios mensais dos ministros em 16,38% — dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. O texto tem origem no projeto (PLC 27/2016), aprovado no último dia 7 pelo Senado Federal.

Revogação do auxílio-moradia

Para balancear as contas do governo, o ministro do STF Luiz Fux revogou também, nesta segunda-feira, liminar proferida por ele, em 2014, que garantiu o pagamento do auxílio-moradia para juízes de todo o país. Com a decisão, integrantes do Ministério Público, Defensoria Pública e tribunais de contas também devem ser afetados e perder o benefício.

A decisão somente deve valer após o aumento para os ministros do STF começar a ser pago.

A decisão fez parte de um acordo informal feito por Fux — relator dos casos que tratam sobre o auxílio —, o presidente do STF, Dias Toffoli, e o presidente Michel Temer, para garantir a sanção do aumento e cortar o pagamento do auxílio com objetivo de diminuir o impacto financeiro nos cofres públicos.

Em 2014, o ministro Luiz Fux deferiu duas liminares determinando que os tribunais fossem notificados para iniciarem o pagamento, atualmente de R$ 4,3 mil. A justificativa à época foi de que o auxílio-moradia está previsto na Lei Orgânica da Magistratura (Loman - Lei Complementar 35/1979).

Teto do funcionalismo

O último aumento do salário dos ministros do STF, que serve de teto para o funcionalismo público em todo o Brasil, ocorreu em janeiro de 2015. O valor foi fixado em R$ 33.763. Na mesma ocasião, foi fixado valor idêntico para o salário do procurador-geral da República e para o subsídio mensal de deputados e senadores.

Com informações da Agência Brasil

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
11h18 Isenção de IPI para veículo rural: Senadores da Comissão de Agricultura (CRA) aprovaram o PL 2.966/2019, que isenta do Imposto sobre Produtos Industrializados a aquisição de caminhonetes por produtores rurais.
11h13 Órgãos de proteção ao crédito: A Comissão de Assuntos Sociais aprovou o PL 2.830/2019, que reduz para 15 dias o prazo para protesto e inscrição em órgãos de proteção ao crédito após condenação na Justiça do Trabalho. A matéria segue para a CCJ.
10h50 Conselho profissional: A Comissão de Assuntos Sociais rejeitou o Projeto de Lei da Câmara 10/2017 que autoriza trabalhador estrangeiro a compor conselho profissional. A matéria segue para a Comissão de Relações Exteriores.
Ver todas ›