Processos de registros de patentes verdes poderão ter prioridade

Da Redação | 08/05/2018, 14h23

A Comissão de Meio Ambiente aprovou nesta terça-feira (8) uma proposta que dá preferência ao exame de pedidos de registro de tecnologias limpas e sustentáveis, conhecidas como patentes verdes. O PLS 158/2012, do senador Ciro Nogueira (PP-PI) segue para análise da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT).

As patentes verdes são as que promovem o uso racional dos recursos ambientais — por exemplo, redução do consumo de matérias-primas, de água e de energia elétrica — e, também, as que visem a redução da emissão de gases do efeito estufa, fortalecimento dos sumidouros de carbono, adaptação às mudanças climáticas, entre outros.

A primeira Patente Verde do Brasil foi aprovada pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial, o INPI, em 2013. O inventor registrou um processo de tratamento de resíduos sólidos que reduz o impacto ambiental e gera energia elétrica. Mas o processo de patentes no Brasil costuma ser longo e desgastante.

O projeto simplifica a tramitação e dá prioridade para os pedidos de registro desse tipo de tecnologia. Um dos objetivos, como explicou o relator da proposta, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), é incentivar a inovação no setor.

— O sistema de patentes não só protege e incentiva a criação, mas também permite ao inventor demonstrar a viabilidade e o retorno do investimento em inovação — disse.

Além disso, Raupp também afirmou que o projeto irá ajudar o Brasil a cumprir as metas ambientais.

— O aporte de tecnologias verdes para o setor produtivo é essencial para o atingimento dos compromissos brasileiros de redução das emissões de gases do efeito estufa definidos nacional e internacionalmente .

Com informações da Rádio Senado

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h14 Racismo: Senadores aprovaram o PLS 787/2015, que aumenta a pena para quem cometer crime por discriminação ou preconceito de raça. A matéria segue para a Câmara dos Deputados.
18h47 Denunciação caluniosa: Retirado de pauta o PL 2.810/2020, projeto de lei que altera a redação do artigo 339 do Código Penal para tratar da abrangência do crime de denúncia contra pessoas inocentes.
18h42 Lei de Falências: Senadores rejeitam, por 52 a 20, destaque do PT ao Projeto de Lei 4.458/2020, que previa a retirada de artigo que tratava de créditos trabalhistas.
Ver todas ›