Roberto Muniz aplaude acordo para financiar audiovisual em três regiões

Da Redação | 14/11/2017, 12h08 - ATUALIZADO EM 14/11/2017, 13h11

O senador Roberto Muniz (PP-BA) aplaudiu a celebração de um acordo para que o Banco do Nordeste (BNB) seja o agente financeiro do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Na segunda-feira (13), foi assinado um protocolo de intenções do banco com a Agência Nacional do Cinema (Ancine) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Criado em 2006, o FSA destina-se a desenvolver a cadeia produtiva do audiovisual, com recursos do Orçamento, atualmente em torno de R$ 1 bilhão. A lei 12.485/2011 prevê que 30% dos recursos do fundo setorial se destinem a projetos no Norte, no Nordeste e no Centro-Oeste. Muniz calcula que isso represente R$ 200 milhões a R$ 300 milhões em recursos anuais para as três regiões, a serem usados na produção de longa-metragens e séries de TV, entre outros. Segundo ele, a participação do Nordeste nos aportes do Fundo Setorial aumentou de 1% para 13% entre 2010 e 2016. Citou como exemplo de autêntica produção nordestina o recém-lançado filme O Matador, de Marcelo Galvão, que conta a história de um cangaceiro.

- Isso mostra o potencial e a força que tem a cultura regional do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste. Junto com uma educação de qualidade, pode ser um marco da construção de um futuro melhor para nossa juventude – disse o senador baiano.

Muniz lembrou o empenho para a celebração do acordo, entre outros, do presidente do Senado, Eunício Oliveira; do atual ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, ex-presidente da Ancine; da atual presidente da agência, Débora Ivanov; do presidente do BNB, Marcos Holanda; e do cineasta Wolney Oliveira, representante do Conne, colegiado que reúne produtores, diretores e atores das três regiões.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)