Representantes de parlamentos de língua portuguesa discutem gestão estratégica

Da Redação | 07/11/2016, 19h10 - ATUALIZADO EM 08/11/2016, 10h01

Começou na manhã desta segunda-feira (7) o 1º Encontro de Gestão Estratégica da Associação dos Secretários-Gerais dos Parlamentos de Língua Portuguesa (ASG-PLP). Organizado pelas Diretorias-Gerais do Senado e da Câmara dos Deputados, o evento tem o objetivo de compartilhar experiências bem-sucedidas e discutir formas de promover a gestão estratégica no Legislativo.

Participam secretários-gerais e outros servidores dos Parlamentos de oito países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, e Timor Leste. Para o secretário-geral da Mesa do Senado, Luiz Fernando Bandeira, a preocupação com a gestão estratégica representa uma necessidade e, ao mesmo tempo, um avanço para os parlamentos.

— O desafio é fazer um planejamento estratégico a médio e longo prazo, já que no Senado e na Câmara, por exemplo, acontece uma mudança de gestão na cúpula a cada dois anos. Imagino que nos demais parlamentos não seja muito diferente disso — afirmou.

Representando a diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, o diretor-geral adjunto de Gestão, Gustavo Ponce de Leon, destacou que a Casa tem se empenhado em não perder a oportunidade de trocar experiências com legislativos de nações “irmãs”, que guardam o legado cultural da língua portuguesa.

— Temos o compromisso de tornar o Senado mais presente e atuante dentro da associação. É uma alegria estar aqui [na abertura do encontro] e compartilhar o amadurecimento da gestão estratégica nos parlamentos. Tem sido um desafio tentar desenvolver linhas de trabalho de médio e longo prazo frente à dinâmica da atuação política e parlamentar e da constante mudança de gestão — salientou.

O secretário-geral da Mesa da Câmara, Wagner Soares Padilha, ressaltou que o Brasil tem focado cada vez mais na transparência do processo legislativo e desejou boas-vindas aos participantes do evento.

Por sua vez, o diretor-geral da Câmara, Luiz Henrique Xavier Lopes, enalteceu o fato de que alguns participantes fizeram uma verdadeira “volta” ao mundo para estarem presentes.

— Isso demonstra essa capacidade que a gente tem de querer estar juntos e aprender uns com os outros. Essa associação representa a união de traços comuns, mistos e históricos que nos une de uma maneira muito especial. Nunca saí de encontro da nossa associação com a sensação de que ensinei mais do que aprendi. Pelo contrário, sempre aprendi mais do que, modestamente, pude ensinar — disse.

Visita guiada

No início da tarde, os participantes fizeram uma visita guiada às dependências do Congresso Nacional. Acompanhados por monitores do Senado e da Câmara, eles passaram por locais como o Salão Negro, o Salão Verde e o Túnel do Tempo, além dos plenários das duas Casas Legislativas.

Um dos participantes, Aniceto Pedro, representante do Parlamento de Angola, relatou que, apesar de já ter vindo outras vezes ao Brasil, ainda não conhecia o Congresso.

— Foi extremamente gratificante termos percorrido os diferentes cantos do Congresso Nacional. Conseguimos, de fato, ter a noção exata da grandeza do Parlamento brasileiro. Voltamos com uma boa impressão e acreditamos que aproveitaremos muitas coisas positivas em nossos países — constatou.

A programação continua nesta terça (8) com palestras sobre gestão estratégia na Câmara dos Deputados e apresentações dos parlamentos representados no encontro. O encerramento está marcado para sexta-feira (11), quando também serão entregues certificados de participação.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: