Paim diz que líder sem-terra é inocente e pede julgamento rápido

Da Redação e Da Rádio Senado | 15/08/2016, 16h17 - ATUALIZADO EM 16/08/2016, 15h10

O senador Paulo Paim (PT-RS) pediu à Justiça, nesta segunda-feira (15), que julgue logo o líder sem-terra José Valdir Misnerovicz, que está preso desde 31 de maio em Aparecida de Goiânia (GO) com base na Lei Antiterrorismo.

Ele visitou Misnerovicz no sábado e afirmou que o líder sem-terra é o primeiro preso político em razão dessa lei. Para Paulo Paim, a prisão confirma o alerta feito por ele e outros parlamentares de que a Lei Antiterrorismo poderia criminalizar os movimentos sociais. A lei foi sancionada em março deste ano, após aprovação do Congresso Nacional.

— Reconheço nele um líder e, por isso, está ali preso. Esta Lei Antiterrorismo que aqui foi aprovada é a responsável. Como não tem nada mais para provar contra ele, porque não há crime, sentaram no processo. Então, o apelo que faço aqui da tribuna é: julguem, julguem o processo dele. Tenho certeza absoluta de que ele será absolvido.

Reforma da Previdência

Paim disse esperar que seja boato a informação de que o governo do presidente interino Michel Temer estaria pensando em fazer a reforma da Previdência por decreto ou portaria.

— É uma insanidade nunca vista. A ditadura não conseguiu fazer isso. Fernando Henrique, na época, quando queria aprovar a idade mínima mandou projeto e perdeu. Então, não acredito que a loucura seja tanta de quererem fazer a reforma da Previdência por portaria. Pode ter certeza que a mobilização [contrária] será muito grande.

Paim se disse  alegre com a unidade do movimento sindical contra a ofensiva do governo interino para retirar direitos dos trabalhadores, aposentados e pensionistas. Ele informou que cerca de mil representantes sindicais participaram, na quinta-feira (11) passada, de um debate no Sindicato dos Químicos de São Paulo e se manifestaram contra as mudanças que o governo quer fazer na Previdência Social e contra todos os projetos que retiram direitos sociais e tramitam no Congresso.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)