Ângela Portela condena exploração do trabalho infantil e violência contra idosos

Da Redação e Da Rádio Senado | 14/06/2016, 17h34 - ATUALIZADO EM 14/06/2016, 20h28

Ao lembrar que domingo, dia 12, foi o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, a senadora Ângela Portela (PT-RO) reclamou que o Brasil ainda tem cerca de 500 mil menores de 14 anos trabalhando. Apesar de alto, esse número já é 46% menor do que se registrava há 10 anos, comentou a senadora.

Ângela Portela advertiu que, enquanto o país não retomar o desenvolvimento econômico, maior será a pressão para a exploração do trabalho infantil.

Ela também disse recear o agravamento do problema com uma agenda conservadora que faça cortes, por exemplo, do Programa Bolsa-Família. Isso resultaria em sérios prejuízos para a erradicação do trabalho infantil, advertiu Ângela Portela. A senadora ainda convidou a população a denunciar o trabalho infantil junto aos Conselhos Tutelares e órgãos da Justiça do Trabalho.

Violência contra idosos

Ângela Portela lembrou que 15 de junho é o Dia Mundial de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa. Segundo ela, a data tem um grande peso simbólico no Brasil, porque o número de pessoas com mais de 60 anos já chega a 12,5% da população, e deverá triplicar até 2050.

A senadora lamentou que os idosos brasileiros estejam submetidos a diversos tipos de violência. Em 2014, conforme relatou, houve mais de 27 mil casos de abusos denunciados ao disque 100, o número nacional que recebe denúncias contra violações dos direitos humanos.

Os casos mais recorrentes, segundo Ângela Portela, são: negligência (76% das denúncias); violência psicológica (54%); abuso financeiro e econômico (38%), e violência física (27% dos relatos).

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)