Rádio Senado mostra combate ao 'Aedes aegypti' no começo do século 20

Da Redação e Da Rádio Senado | 03/06/2016, 09h57 - ATUALIZADO EM 03/06/2016, 14h02

A primeira grande ofensiva contra o Aedes Aegypti no Brasil ocorreu mais de cem anos atrás. No começo do Século 20, a doença que o mosquito espalhava era a temida febre amarela. A dengue ainda era um mal distante e exótico e os médicos nem sequer sonhavam com a zika e a febre chicungunha.

Nesta sexta-feira (3), às 18h, a Rádio Senado transmite a Reportagem Especial “Oswaldo Cruz, o cientista que conseguiu vencer o mosquito Aedes aegypti”, do repórter Ricardo Westin, que mostra as estratégias que o diretor-geral de Saúde Pública do governo do presidente Rodrigues Alves usou para acabar com a febre amarela no Rio de Janeiro, a capital da República.

Determinado, Oswaldo Cruz precisou vencer a resistência da população carioca e até dos médicos e dos cientistas, que naquela época ainda não aceitavam que o mosquito era o transmissor da febre amarela. Eles acreditavam que eram os vapores da terra suja os responsáveis pela disseminação da doença.

Tomando como base documentos históricos guardados no Arquivo do Senado, em Brasília, a reportagem também revela que senadores no começo do século passado foram contrários às ações sanitárias de Oswaldo Cruz e argumentaram que era desperdício de dinheiro público investir na caçada ao mosquito. O diretor-geral de Saúde Pública, porém, provou que tinha a razão: o Rio de Janeiro, que todos os anos assistia a centenas de mortes, em pouquíssimo tempo ficou completamente livre da febre amarela. A Reportagem Especial tem reprise no sábado (4), às 10h, e no domingo (5), às 17h, horário de Brasília.

COMO OUVIR

Dia e horário: sexta-feira (3), às 18h; com reprise no sábado (4), às 10h, e no domingo (5), às 17h, horário de Brasília.
Para sintonizar: A Rádio Senado transmite sua programação para Brasília e regiões vizinhas na frequência de 91,7 MHz e para outras nove capitais: Cuiabá (102,5 MHz), Fortaleza (103,3 MHz), João Pessoa (106,5 MHz), Manaus (106,9 MHz), Natal (106,9 MHz), Rio Branco (100,9 MHz), Teresina (104,5 MHz), Macapá (93,9 MHz) e São Luís (96,9 MHz).
Pela internet: Os programas da Rádio Senado são distribuídos para mais de 2 mil emissoras no país por meio da RadioAgência, e podem ser acessados no endereço www.senado.leg.br/radio. (acesse aqui)

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)