Raimundo Lira lista assessores que participam da Comissão Especial do Impeachment

Da Redação | 02/05/2016, 18h08 - ATUALIZADO EM 11/08/2016, 17h47

O presidente da Comissão Especial de Impeachment, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), enumerou há pouco quais os assessores que estão autorizados a acompanhar os trabalhos. De acordo com o presidente, há permissão para um assessor por senador, um assessor por liderança, dois assessores do Ministério da Justiça, dois do Tribunal de Contas da União (TCU) e quatro da Advocacia Geral da União (AGU). Segundo Raimundo Lira, foi a própria comissão que pediu o acompanhamento de assessores da AGU.

— Pedimos que a AGU fizesse o melhor acompanhamento dos nossos trabalhos para evitar uma possível judicialização — afirmou.

Raimundo Lira acrescentou que a Secretaria de Comunicação do Senado cuida do credenciamento da imprensa. Ele disse que a Comissão Especial de Impeachment está batalhando pela melhor execução do trabalho e destacou que a sala onde ocorrem as reuniões foi “reformada, inclusive com um computador para cada senador”.

Questão de ordem

A informação foi apresentada em resposta a uma questão de ordem do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que indagou sobre a participação de servidores da AGU na Comissão Especial de Impeachment, “prestando assessoria à base do governo”. Caiado chegou a citar nomes e dizer que era “desvio de função”, além de “indevido, ilegal e imoral”. O senador José Medeiros (PSD-MT) disse ter formulado uma questão de ordem no mesmo sentido, na última sexta-feira (29).

Já os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) negaram que estivessem sendo assessorados por alguém da AGU e informaram que nem sequer conheciam as pessoas citadas.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)