CPI do Assassinato de Jovens adia apresentação de relatório

Da Redação | 19/04/2016, 11h08 - ATUALIZADO EM 20/04/2016, 17h38

A CPI do Assassinato de Jovens, que funciona há cerca de um ano, adiou a apresentação de seu relatório final. De acordo com a assessoria da senadora Lídice da Mata (PSB-BA), presidente da comissão de inquérito, a divulgação no momento da chegada do processo de impeachment de Dilma Rousseff ao Senado dificultaria a mobilização da sociedade civil, de especialistas e dos meios de comunicação para o tema.

O prazo para a conclusão dos trabalhos da CPI, que se encerraria no dia 28 deste mês, deve ser prorrogado por 45 dias.

O relator da comissão, Lindbergh Farias (PT-RJ), apresentaria suas conclusões em audiência pública a ser realizada no próximo dia 26. A sessão, que será remarcada, deve reunir parentes de jovens assassinados, ministros, representantes do Ministério Público, ativistas, jornalistas e pesquisadores.

A CPI ouviu mais de 200 pessoas em 29 audiências públicas. Uma das preocupações de Lindbergh é a ausência de dados qualificados para que seja possível realizar um diagnóstico preciso sobre as diversas nuances das mortes violentas de jovens e propor medidas mais efetivas de enfrentamento do problema.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
13h48 Sabatina de indicado ao STF: Comissão de Constituição e Justiça retoma sabatina de Kassio Marques, indicado para o Supremo Tribunal Federal. A reunião havia sido suspensa por 30 minutos para almoço.
13h13 Intervalo na Sabatina para o STF: Foi suspensa para o almoço a sabatina na Comissão de Constituição e Justiça de Kassio Marques, indicado para o Supremo Tribunal Federal. A reunião da CCJ deve ser retomada em 30 minutos.
Ver todas ›