Moedas de R$ 0,50 e R$ 1 foram alteradas

Da Redação | 05/04/2004, 00h00 - ATUALIZADO EM 28/02/2019, 16h32

Devido ao baixo valor e a dificuldade de produção, a falsificação de moedas é menos comum. Ainda assim, o prejuízo foi grande. De 1994 a 2004, ficou em torno de R$ 471 mil reais. A antiga moeda de R$ 1, em aço inox, foi a responsável por 99% das falsificações. Em 1998, uma nova moeda foi elaborada, feita com outro material, com o núcleo prateado e a borda em duas cores, mais segura e difícil de ser copiada. Já em 23 de dezembro de 2003, a moeda antigade R$ 1 saiu de circulação, ou seja, ela não pode mais ser utilizada. Desde 23 de março de 2004, a troca pelo modelo atual só pode ser feita no Banco Central ou em agências autorizadas do Banco do Brasil.

Para baixar o preço de produção, em junho de 2002 o BC fez novas modificações nas moedas de R$ 0,50 e R$1. Elas se tornaram mais leves e mais brilhosas porque passaram a ser feitas em aço inoxidável e aço revestido de bronze.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)