Projeto permite compra direta de medicamentos por governos estaduais e prefeituras

24/07/2017, 19h40

Governos dos estados e do Distrito Federal e prefeituras podem ser autorizados a comprar remédios e material hospitalar diretamente de laboratórios públicos ou privados, por meio de procedimento licitatório simplificado, eliminando a intermediação de representantes comerciais ou distribuidores. A sistemática consta do PLS 171/2012, de autoria do senador Ivo Cassol (PP-RO). O objetivo é diminuir os preços, agilizar a entrega e facilitar o acesso da população de baixa renda aos remédios. Cassol explica que hoje o laboratório fabricante vende o medicamento a uma grande distribuidora, “que revende para outra distribuidora, que depois vende na regional do município e quem paga essa conta é o povo”. A reportagem é de Thiago Melo, da Rádio Senado.



Opções: Download


Senado Agora
13h16 Pessoas com câncer : Comissão de Direitos Hunanos aprovou o projeto (PLS 403/2016) que garante atendimento prioritário a pessoas com neoplasia maligna (câncer) que estejam se submetendo a quimioterapia ou radioterapia.
13h02 Identificação de idosos: CDH aprovou o PLS 126/1016 proibindo o uso pejorativo de símbolo para identificação preferencial de idosos. Projeto do senador Waldemir Moka pretende acabar com o constrangimento dos idosos.
12h49 Cão-guia: Comissão de Direitos Humanos aprovou o projeto (PLS 411/2015) que garante a pessoas com deficiências o direito de serem acompanhadas por cão-guia em qualquer estabelecimento. A medida visa ajudar os deficientes visuais.
Ver todas ›