CPI do Futebol conclui trabalhos sem indiciamentos de cartolas

27/12/2016, 17h39

A CPI do Futebol foi criada em 2015, após a prisão do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, acusado pelo governo americano de participar de um esquema mundial de propinas e subornos na comercialização de jogos de futebol organizados pela FIFA (Federação Internacional de Futebol). O relatório final da CPI, elaborado pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR) e aprovado em 7 de dezembro, não indicia ninguém. Já o presidente da CPI Romário (PSB-RJ) e o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) elaboraram um voto em separado, enviado ao Ministério Público, pedindo o indiciamento de 9 dirigentes, entre eles, o atual presidente da CBF Marco Polo Del Nero e antecessores. A reportagem é de Ana Beatriz Santos, da Rádio Senado.



Opções: Download