Adolescência e o despertar para o exercício da cidadania


Dicas de Português

Apesar de ser a nossa língua mãe e fazermos uso dela todos os dias, é comum termos dúvidas de português e elas não são poucas.

Para auxiliar nesse desafio permanente de escrever melhor e sermos capazes de expressar nossas opiniões, o Jovem Senador elaborou algumas dicas e espera que elas possam ser úteis e ajudá-lo em todas as suas atividades de jovem cidadão, em casa, na escola, em sua cidade, onde quer que você esteja!

Índice
Ops! 1 - Datas em textosOps! 2 - A hora e a crase...
Ops! 3 - A hora e os algarismos...Ops! 4 - Meio-dia, meia-noite..
Ops! 5 - Xô, acento!Ops! 6 - Lugar-comum, frase feita, chavão, clichê, modismos!
Ops! 7 - Onde ou aonde?Ops! 8 - Uso dos porquês...
Ops! 9 - Vamos trocar uma ideia?Ops! 10 - Muita boa vontade!
Ops! 11 - Para que usar siglas?Ops! 12 - A, há...

Ops! 13 - Reservar-se o direito ou reservar-se ao direito?

Ops! 14 - Fui eu quem...

 

Ops! 14 - 5.12.2013

Fui eu quem...

Ok, melhor assumir logo o que fez. Mas, como você conjuga o verbo logo após essa expressão?

Saiba que neste caso, o verbo tanto pode concordar com o pronome pessoal como pode manter-se na 3ª pessoa do singular. As duas formas estão corretas...! Ufa, fica mais fácil assim. Até que enfim uma regra bem basiquinha, não é mesmo? Não tem como errar!

  • Fui eu quem ligueipara você ontem à noite.
    O verbo está concordando com o pronome pessoal.
  • Fui eu quem ligou para você ontem à noite.
    Aqui o verbo manteve-se na 3ª pessoa do singular.

Índice

 


 

 

Ops! 13 - 7.11.2013

Reservar-se o direito ou reservar-se ao direito?

Um desafio para você! Poucos usam corretamente a expressão. Seja um deles você também! Você se reserva o direito ou você se reserva ao direito de fazer algo? Veja só.

O direito aqui faz o papel de complemento direto e o pronome se funciona como complemento indireto. Portanto...

O comitê organizador do concurso de redação reserva-se o direito de alterar o regulamento sem aviso prévio.

E não:

O comitê organizador do concurso de redação reserva-se ao direito de alterar o regulamento sem aviso prévio.

Índice


 

Ops! 12 - 31.10.2013

A, há...

Neste caso não podemos flexibilizar nadinha. Os usos são completamente diferenciados e confundi-los é um erro lamentável! A boa notícia é que a regra é simples. Portanto, arregace as mangas e mãos à obra!

Como funciona? É simples assim.
O indica tempo passado.
O aindica tempo futuro.

Veja alguns exemplos:
sete anos os brasileiros se assustaram com os detalhes do mensalão. Daqui a alguns anos saberemos os impactos de todo o processo na dinâmica política do país e o nível de tolerância do nosso povo com a corrupção.

Os alunos chegaram dez minutos e assinaram o livro de presença. Daqui a pouco eles vão iniciar a visita.

Índice


 

Ops! 11 - 25.10.2013

Para que usar siglas? Para encurtar as palavras, ora!

O Instituto Nacional do Seguro Social vira o INSS... e ajuda muito poder contar com tal recurso na hora de redigir os textos. Além de economizar palavras, o texto fica mais elegante ao fugir de repetições cansativas.

Siglas têm plural?

Sim! Coloque um pequeno s ao final da sigla e pronto! CPIs, PMs, ONGs.

Siglas são grafadas com letras maiúsculas ou minúsculas?

Depende. Quantas letras tem a sigla que você deseja utilizar? Ah, e como ela costuma ser pronunciada? Repita em voz alta para você mesma.

  • Até três letras, use maiúsculas. CPI, ONG, PM, TPM.
  • Se passar de três letras e formar palavra, use maiúscula somente na primeira letra. Detran, Embrapa. (Percebeu como quando você pronunciou em voz alta... formou palavras?)
  • Se passar de três letras e for pronunciada letra a letra, tudo com maiúsculas. INSS, DNER.

    Índice


     

    Ops! 10 - 17.10.2013

    Muita boa vontade!

    Sim, estudar é um grande prazer. Você só precisa de muita boa vontade. Os resultados do bom trabalho vêm com o tempo.
    Xô, preguiça!

    Saiba que ao utilizar a expressão muita boa vontade o muito e pouco devem concordar com a expressão BOA VONTADE.

    Veja como ficam nestes exemplos:

    • Ela demonstrou muita boa vontade em ajudar.
    • Você tem pouca boa vontade... parece estar fazendo algo contrariada. Assim, prefiro ficar sem o seu apoio.

     

    Índice


    Ops! 9 - 26.9.2013

    Vamos trocar uma ideia?

    Os acentos têm regrinhas próprias. Algumas mudaram com o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Você já está craque?!

    Nas paroxítonas, os ditongos ei e oi com som aberto não são mais acentuadas!

    Exemplos:
    A ideia do aluno foi bastante original!
    A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo vai participar do encontro por videoconferência.
    A plateia do Rock In Rio estava animada no show do Iron Maiden.

    Assim também acontece com: estreia, Coreia, europeia, paranoia e tantas outras paroxítonas. Fique atento!

    Índice


     

    Ops! 8 - 19.9.2013

    Uso dos porquês...

    Esta é uma regra obrigatória, não é mesmo? A toda hora precisamos redigir e utilizar essa palavrinha mágica que dá conta de tantos recados. Então, vamos aprender!

    Ao redigir uma pergunta, utilize-o separadamente.
    Por que você não contou que iria viajar no sábado?

    Nas respostas, utilize-o coladinho.
    Não contei porque ainda não havia comprado as passagens.

    Utilize-o também separadamente quando a ideia de razão, causa ou motivo estiver subentendida.
    Não entendo por que(o motivo) tanta correria!

    Quando a ideia de razão, causa ou motivo aparecer no final de frases, use-o separado e com acento.
    Ora, o momento é perfeito! Venha comigo e saiba por quê. (a razão pela qual).

    Quando antes da ideia de razão, causa ou motivo houver um artigo, numeral ou pronome, use-o junto e acentuado.
    Não, tenho de trabalhar, mas continuo sem entender o porquê da sua pressa.

    Ao final de perguntas, bem junto do ponto de interrogação, utilize-o separado e com acento.
    E você está me julgando por quê? Há muito tempo planejo viajar. Deixe-me seguir tranquilo.

    Índice


     

    Ops! 7 - 12.9.2013

    Onde ou aonde?

    A diferença entre eles é sutil, mas saber empregá-los corretamente demonstra conhecimento da língua e zelo ao redigir textos.

    Ao se referir a um lugar, use o pronome onde.
    Certifique-se de que está tudo certo substituindo o pronome pela expressão em que. Se der o mesmo sentido, está perfeito.

    Exemplo:
    Você está onde? ou Você está em que lugar?

    Já com verbos que indicam movimento, use aonde.
    Você também pode se certificar de que está correto substituindo aonde por a que lugar ou para que lugar.

    Exemplo:
    Você vai aonde? ou Você vai a que lugar? ou Você vai para que lugar?

    Índice


     

    Ops! 6 - 5.9.2013

    Lugar-comum, frase feita, chavão, clichê, modismos!

    Ao expor uma ideia, observe as palavras que vai escolher para expressá-la.

    Dê ênfase aos seus argumentos e seja criativo, mas fuja dos clichês e modismos repetidos à exaustão. Tão banais...

    Claro, um bate-papo é diferente de um texto escrito. A linguagem oral permite gracinhas que o papel formal não aceita de bom grado. Ainda assim, sugerimos evitar. Essas palavras, expressões, frases e até imagens são desgastadas, chatas de ouvir/ler e empobrecem sua comunicação!

    Veja alguns exemplos de expressões do tipo chavão:

    • show de bola
    • mão na roda
    • faca de dois gumes
    • abrir/fechar com chave de ouro
    • de vento em popa
    • cair como uma luva
    • colocar um ponto final
    • atingir em cheio

    Índice


     

    Ops! 5 - 15.8.2013

    Xô, acento!

    Você já deve ter ouvido falar bastante no Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A ideia principal da norma é a integração ortográfica entre os países que falam a nossa língua, o que pode facilitar o intercâmbio de projetos culturais e científicos.

    Obs.: O período de transição para a norma entrar em vigor foi ampliado para 2016, mas vale lembrar que as novas regrinhas já estão em vigor nas redações dos grandes veículos de comunicação, escolas, concursos/vestibulares... Fique antenado e vá se acostumando!

    Palavras terminadas em ÊEM e ÔO(s) perderam o acento.
    Exemplos: creem, deem, leem, preveem, voo, enjoos etc.

    Mas, fique de olho!

    As flexões dos verbos TER e VIR na 3ª pessoa do plural do presente do indicativo mantêm o acento: TÊM, VÊM.
    Isso é pra diferenciá-las das flexões na 3ª pessoa do singular: tem, vem.

    O mesmo vale para os derivados desses verbos, como MANTÉM e MANTÊM, por exemplo.
    Então, fica assim: Ele TEM.
    Ele MANTÉM.
    Ele VEM.
    Eles TÊM.
    Eles MANTÊM.
    Eles VÊM.

    Índice


     

    Ops! 4 - 8.8.2013

    Meio-dia, meia-noite...

    Uso hífen? Os dois termos vão para o plural? E a concordância, como fica?
    Já passou da hora de a gente aprender! Observe.

    Use hífen nos dois termos.
    Exemplo 1: A nova lei entra em vigor a partir da meia-noite.
    Exemplo 2: Hoje, as visitas acontecem somente a partir do meio-dia.

    Se for preciso, coloque os dois termos no plural.
    Exemplo: O encontro acontece sempre aos meios-dias.

    Atenção! A concordância é com a hora, por isso vem expressa no feminino. Já o verbo, fica no singular.
    Exemplo 1: Meia-noite e meia! (e não meia-noite e meio).
    Exemplo 2: Já é quase meia-noite.

    Meia-noite, zero hora. O dia começa à zero hora e vai até a meia-noite.
    Portanto, zero hora marca o início de um dia; meia-noite, o final.
    Exemplo: Começou à zero hora desta quarta-feira, via internet, a venda dos ingressos para o show.

    Índice


     

    Ops! 3 - 1.8.2013

    A hora e os números...

    Por que tanto zero pra todo lado, pessoal? E de onde veio a história de que o h das horas é maiúsculo?
    É tão mais fácil do que parece! Vamos descomplicar? Veja.

    Horas do dia são escritas sempre com algarismos e a abreviatura h.
    Exemplo: Chegou às 9h30 e saiu às 10h.
    (Observe que não há espaços entre os algarismos e a abreviatura!)

    Não use zero antes dos números:
    Exemplo: A mostra começará às 8h. (e não às 08h!)

    Veja também o convite expedido pela área de Relações Públicas do Senado Federal, em abril deste ano. A diferença aqui é que hora é escrito por extenso:

    Também não use zero à direita para indicar hora cheia:
    Exemplo 1: O post publicado no site do Jovem Senador foi atualizado às 18h.(e não às 18h00!)
    Exemplo 2: Evento a realizar-se no dia 8 de abril de 2013, segunda-feira, às 11 horas, no Plenário do Senado Federal.(e não às 11h00!)

    Quando a indicação for aproximada, escreva hora por extenso:
    Exemplo:Chegou por volta das 6 horas.(e não por volta das 6h!)

    Em intervalos de tempo, as palavras hora ou minuto são por extenso. Siga também a regra geral de numerais: escreva por extenso os números até dez.
    Exemplo 1: Os grupos de visitantes saem a cada 30 minutos do Salão Negro.
    Exemplo 2:A decisão foi tomada depois do debate que durou três horas.

    O verbo deve concordar com o número de horas ou minutos.
    Exemplo 1: Já é 1h40.(e não já são 1h40!)
    Exemplo 2: Já são 4h e ninguém chegou!

    Escreva hora decorrida por extenso.
    Exemplo: Durou mais de três horas a exibição do filme para os alunos.

    Índice


     

    Ops! 2 - 25.7.2013

    A hora e a crase...

    O assunto costuma deixar muita gente boa de cabelo em pé.
    Dica do Ops!. Vale pra crase e outros desafios da nossa língua portuguesa: estude e assimile as regras em pequenos grupos (como agora, com as horas) e esforce-se para colocá-las logo em prática. Depois, volte ao assunto e aprofunde um tantinho mais. Quando você se der conta, já saberá aplicar nos textos várias regras com total segurança.

    Você deseja escrever uma hora definida? Então, use a crase.
    Exemplo 1:As visitas guiadas ao Palácio do Congresso Nacional seguem em seu horário habitual, das 9h30 às 17h, com saídas de grupos a cada 30 minutos.(e não de 9h30 às 17h, de 9h30 a 17h).
    Exemplo 2: Em 2012, a solenidade de premiação dos alunos finalistas do Jovem Senador foi realizada em Brasília, dia 19 de novembro, às 9h.

    E neste ano, hein, você gostaria de estar entre nós?! Faça sua redação e concorra!

     

    Já se o horário for indeterminado, não use a crase.
    Exemplo: Não ficou combinado quando exatamente, mas ele vai a uma hora qualquer.

    Agora, fique de olho! Se a hora vier juntinho das preposiçõesentre, para e até, nada de crase!
    Exemplo 1: Estarei lá entre 10h e 14h.
    Exemplo 2: O debate está marcado para as 10h.
    Exemplo 3: O debate está marcado para 10h.
    Exemplo 4: Os candidatos têm até as 23h59 de hoje para opinar sobre o projeto.

    Índice


     

    Ops! 1 - 18.7.2013

    Datas em textos

    Exemplo 1:
    Fragmento extraído da redação de Franciele Rocha Ribeiro, finalista do Concurso de Redação do Senado Federal, em 2008, como representante do Rio Grande do Sul.

    “A Bandeira Nacional é muito mais que um símbolo. Criada em 19 de novembro de 1889, nasceu das mãos de Raimundo Teixeira Mendes, Miguel Lemos e Décio Vilares (...).”.

    Exemplo 2:
    7 de setembro (data em que se comemora a Independência do Brasil)
    ...e não dia 07 de setembro!

      Use número ordinal ao escrever o primeiro dia do mês:
      Exemplo:1º de junho (jamais 1 de junho)

      Não cabem pontos nos anos:
      Exemplo: 2013 (e não 2.013)

      Ao escrever o dia da semana, opte pela forma completa com hífen:
      Exemplo: Segunda(s)-feira(s), quarta(s)-feira(s) e assim por diante.

      Ao enumerar dias da semana, não precisa repetir o termo feira:
      Exemplo: Segundas, terças, quartas e quintas-feiras.

      Datas comemorativas, históricas, feriados, comemorações cívicas e tradicionais são escritas com maiúscula:
      Exemplo 1: Fragmento extraído da redação de Jeane Cristina Novais Miranda, finalista do Concurso de Redação do Senado Federal, em 2008, como representante da Bahia.

      “(...) Portanto, no dia 19 de novembro comemoramos o Dia da Bandeira e devemos respeitar a Bandeira Nacional, pois é ela que nos dá o direito de dizer. (...)”.
      (observe que o mês está corretamente escrito com minúsculas e a data histórica com Dia em maiúscula)

      Exemplo 2: Dia do Professor, Dia da Bandeira, Páscoa, Natal, Ano-Novo etc.

      Índice

      Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 0 61 2211