“200 anos de Independência: lições da história para a construção do amanhã”


Externa

Em concurso, Senado escolhe estudantes para viver rotina parlamentar por quatro dias

CNN Brasil

Um estudante de cada unidade da federação terá a oportunidade de vivenciar o dia a dia de um senador entre os dias 27 de junho e 1º de julho, por meio do programa Jovem Senador 2022.

Os 27 alunos irão à Brasília, onde passarão pelos processos de discussão e elaboração das sugestões de leis. As propostas dos estudantes podem, inclusive, se transformar em projetos de lei.

Eles foram selecionados por seu desempenho em uma redação com o tema “200 anos da Independência: lições da história para a construção do amanhã”.

O programa tem como objetivo proporcionar a estudantes do ensino médio de escolas públicas conhecimento sobre a estrutura e funcionamento do Poder Legislativo no Brasil e estimular o relacionamento dos jovens com o Senado Federal.

Dos 27 estudantes escolhidos, a maioria é de mulheres – são 19 alunas e 8 alunos. A representante do Estado do Rio de Janeiro é a mais nova entre os selecionados. Renata Gonçalves, de 14 anos, estuda no Colégio Estadual Elvidio Costa, em São Fidélis, no Norte Fluminense. A idade máxima para participar do programa é 19 anos.

A estudante do Rio de Janeiro diz que se sente privilegiada por poder representar a escola, a cidade e o estado no Senado.

“Eu recebi muito apoio da direção e da orientação pedagógica do meu colégio e, principalmente, da minha professora de Língua Portuguesa. Além de me orientar na produção do texto, ela me deu todo apoio emocional”, conta a estudante.

O trabalho dos jovens em Brasília simula a atuação dos senadores da República: começa com a posse e eleição da Mesa (presidente, vice e secretários) e termina com a aprovação dos projetos e publicação no Diário do Senado Federal.

As sugestões acatadas são encaminhadas à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) da Casa.

Desde o início do programa, em 2010, os jovens já apresentaram 54 proposições ao colegiado. Dessas, 40 foram aceitas e passaram a tramitar como projetos de lei e duas seguiram como Propostas de Emenda à Constituição (PECs).

 

*Sob supervisão de Helena Vieira


IMPRIMIR | E-MAIL