Renan mantém sessão do Congresso para votar vetos restantes — Rádio Senado
Reforma Política

Renan mantém sessão do Congresso para votar vetos restantes

30/09/2015, 01h09 - ATUALIZADO EM 30/09/2015, 01h27
Duração de áudio: 02:13
Jonas Pereira/Agência Senado

Transcrição
LOC: RENAN CALHEIROS MANTÉM SESSÃO DO CONGRESSO NACIONAL APESAR DE MANOBRAS DO PRESIDENTE DA CÂMARA. LOC: OS DEPUTADOS QUEREM INCLUIR NA PAUTA O VETO QUE TRATA DO FINANCIAMENTO PRIVADO DE CAMPANHAS. OS DETALHES COM A REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN. TÉC (Repórter): Na tentativa de derrubar o veto ao artigo da reforma política que trata do financiamento privado de campanha, o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha do PMDB do Rio de Janeiro, convocou votações para o horário da sessão do Congresso Nacional desta quarta-feira destinada à apreciação de seis vetos, entre eles, o que prevê reajuste de até 78% dos servidores do Judiciário. O presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, por sua vez, manteve a sessão para quando acabarem as votações no Plenário da Câmara sob o argumento de que o Legislativo precisa dar respostas à sociedade numa referência aos vetos já em discussão. Renan Calheiros lembrou ainda que a presidente Dilma Rousseff barrou o financiamento privado de campanhas após o Supremo Tribunal Federal proibir esse tipo de doação. E argumentou que o veto dos deputados não está na pauta desta quarta-feira, como determina o Regimento. (Renan) A apreciação deste veto, quando o Brasil espera que concluamos a apreciação dos outros vetos, seria inútil do Congresso Nacional. Primeiro, porque quebraríamos a regra dos 30 dias. Depois porque você trataria de um assunto que não tem nada a ver com os vetos que estão tensionando o País. E terceiro, do ponto de vista do entendimento do Supremo Tribunal Federal seria uma espécie de confrontação. (Repórter): O primeiro-vice presidente do Senado, Jorge Viana do PT do Acre, considerou insensatez a manobra dos deputados, que, segundo ele, estão de olho no dinheiro dos empresários. Para o senador, a derrubada desse veto poderá criar uma crise entre os Poderes. (Jorge) É muito ruim. É uma situação inusitada. Estamos vendo um agravamento dessa situação política que o País vive criando o risco de uma crise institucional. O Supremo votou, tomou uma decisão. (Repórter): O Plenário do Senado rejeitou o financiamento privado de campanha durante a votação da Reforma Política. Mas terá que discutir uma Proposta de Emenda à Constituição da Câmara dos Deputados que permite empresários doarem recursos para partidos políticos. Da Radio Senado, HC

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00