Guardas penitenciários poderão usar armas de fogo mesmo fora do serviço — Rádio Senado

Guardas penitenciários poderão usar armas de fogo mesmo fora do serviço

LOC: OS GUARDAS PENITENCIÁRIOS PODERÃO UTILIZAR ARMAS DE FOGO MESMO FORA DO HORÁRIO DE SERVIÇO. É O QUE DETERMINA PROPOSTA QUE DEVE SER ANALISADA NESTA QUARTA-FEIRA PELA CCJ.
 
LOC: NA QUINTA-FEIRA, O MINISTRO DA EDUCAÇÃO DEVE DISCUTIR COM OS SENADORES O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, QUE DEFINE METAS E DESTINA DEZ POR CENTO DO PIB PARA O SETOR. REPÓRTER GEORGE CARDIM: 

(Repórter) Na terça-feira, a Comissão de Assuntos Econômicos deve votar um convite para que os presidentes do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal discutam com os senadores as recentes medidas adotadas para reduzir as taxas de juros. No mesmo dia, a Comissão de Educação deve examinar o projeto do chamado Ato Médico, que busca garantir melhor atendimento aos pacientes e estabelece as competências e atividades exclusivas dos profissionais formados em medicina. Ainda na terça, a CPI do Tráfico de Pessoas deve ouvir as famílias de São Paulo que adotaram cinco irmãos do município baiano de Monte Santo. Também vai prestar depoimento o juiz Roberto Cappio, que apontou irregularidades no processo de adoção. Na quarta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça deve votar a proposta que modifica o Estatuto do Desarmamento e autoriza os agentes e guardas penitenciários a utilizarem armas de fogos mesmo fora do horário de serviço e em todo o território nacional. A iniciativa é uma antiga reivindicação da categoria para garantir a segurança destes profissionais. A previsão de votação foi feita pelo presidente da CCJ, senador Eunício Oliveira, do PMDB do Ceará.
 
(Eunício Oliveira) Há o compromisso da Mesa de na próxima quarta-feira - já determino à assessoria - para a coloque em pauta para a próxima reunião. 

(Repórter) Na quinta-feira, os senadores das comissões de Assuntos Econômicos e de Educação devem discutir com o ministro Aloizio Mercadante, especialistas e autoridades, o Plano Nacional de Educação. A proposta determina o investimento de dez por cento do Produto Interno Bruto em educação. Para o senador Cristovam Buarque, do PDT do Distritto Federal, o mais importante é definir onde será aplicado o dinheiro.
 
(Cristovam Buarque) Nós vamos gastar mais dinheiro em equipamentos ou vamos combinar o gasto em equipamentos com gastos em formação do professor para usar o equipamento?
 
(Repórter) O Plano Nacional de Educação estabelece 20 metas educacionais que o País deve atingir em dez anos. Entre elas, o fim do analfabetismo e a ampliação de vagas em creches e no ensino integral.
23/11/2012, 04h10 - ATUALIZADO EM 23/11/2012, 04h10
Duração de áudio: 02:30
Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00