Senado entrega Comenda Dom Hélder Câmara a defensores de direitos humanos

Luiza Melo (sob supervisão) | 10/07/2024, 16h31

O Senado promoveu nesta quarta-feira (10), no Plenário do Senado, a sessão em homenagem e entrega da Comenda Dom Hélder Câmara. A honraria é destinada a personalidades e instituições que ofereceram contribuições para a promoção de direitos humanos no país. 

Os agraciados pela premiação foram:

O senador Paulo Paim (PT-RS), presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado. Paim é autor e relator deem importantes legislações como o Estatuto da Pessoa Idosa, o Estatuto da Pessoa com Deficiência e a Lei de Cotas.

O ministro dos Direitos Humanos e Cidadania Silvio Almeida Almeida, fundador do Instituto Luiz Gama, que atua em causas sociais com ênfase nas questões étnico-raciais e de minorias. 

O Professor Antônio Augusto Cançado Trindade (in memoriam), jurista e acadêmico reconhecido na área do Direito Internacional e dos Direitos Humanos, que atuou como juiz na Corte Interamericana de Direitos Humanos e no Tribunal Internacional de Justiça, em Haia. 

O analista Rafael Régis Azevedo, atuante na causa das doenças raras, que impactou a vida de muitas pessoas, incentivando o cuidado e apoio a essa população.

E por fim, o Instituto Dom Helder Câmara (IDHeC / Recife-PE), uma entidade sem fins lucrativos com sede em Recife, que tem se dedicado a preservar e divulgar o legado de Dom Hélder Câmara.

Durante a homenagem, Paim destacou que o Brasil ainda tem muitos desafios pela frente e a importância de ações para promoção dos direitos humanos. 

– Procurei estar na mesma toada com a população. Sempre é bom se colocar no lugar do outro e sentir as suas dores, as suas perdas, as suas preocupações. Entender os sentimentos e as emoções como se estivéssemos vivenciando a mesma situação. Assim pensava e agia Dom Hélder Câmara – disse ele.

A senadora Teresa Leitão (PT-PE), presidente da sessão, ressaltou a importância do prêmio:

Dom Hélder é conhecido como o Dom da Paz, porque a sua firmeza, as suas convicções fortes, as suas posições, às vezes até duras, nunca deixaram de lado a perspectiva do afeto, do amor e da construção da paz. Por isso é que o Senado, a meu ver, foi muito generoso e ao mesmo tempo muito feliz ao idealizar esta Comenda de Direitos Humanos, denominada Comenda Dom Hélder Câmara — finalizou. 

Dom Hélder Câmara

Bispo católico e um dos fundadores da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é lembrado por sua defesa dos direitos humanos durante o regime militar brasileiro. Ele foi indicado quatro vezes ao Prêmio Nobel da Paz. Nascido no Ceará, destacou-se como arcebispo de Olinda e Recife entre 1964 e 1985, período durante o qual promoveu uma igreja voltada para os pobres e defendeu a não violência. Após a sua aposentadoria, ele viveu nos fundos da Igreja das Fronteiras, em Recife, até o seu falecimento em 1999, aos 90 anos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)