Senadores lamentam morte do ex-senador Papaléo Paes

Da Redação | 26/06/2020, 10h59

O ex-senador pelo Amapá Papaléo Paes morreu na noite de quinta-feira (25) em decorrência do novo coronavírus. Pelas redes sociais, senadores lamentaram seu falecimento e destacaram a atuação dele como líder político e médico cardiologista. Papaléo estava internado num hospital particular da capital do estado, Macapá.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, representante do mesmo estado do ex-senador, lamentou a perda repentina do amigo que, segundo ele, foi um exemplo para o Amapá e para o Brasil.

“Uma partida repentina que comove a todos que conheciam a gentileza de um homem cujo olhar sempre foi generoso e que fez do amor ao próximo a sua própria profissão. O Amapá e o Brasil perdem uma pessoa honrada, fiel a seus princípios, e eu perco um grande amigo e um exemplo de vida”, afirmou no Twitter.

O senador Lucas Barreto (PSD), que também é senador pelo Amapá, manifestou solidariedade à família e amigos.

“Lamento profundamente a partida do doutor Papaléo Paes, um grande médico, político e amigo, um exemplo para todos nós. Não há palavras para definir tamanha perda. Que Deus conforte seus familiares e amigos”.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) lamentou a perda do médico na batalha contra a covid-19.

“Perdemos o doutor Papaléo Paes. Líder político que foi senador, prefeito e vice-governador no Amapá. Sua importância para nossa história não cabe em palavras. A tristeza não cabe no peito. Mais triste ainda foi perdê-lo para a covid-19. Meus sentimentos à família. Vai em paz, amigo”, afirmou no Twitter.

Papaléo Paes nasceu em 27 de agosto de 1952 em Belém (PA) e era médico formado pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Especializou-se em cardiologia no Rio de Janeiro. No Amapá, chegou a assumir a direção do Hospital Geral de Macapá e a função de secretário de estado da Saúde na gestão de Aníbal Barcellos. Foi eleito prefeito de Macapá em 1992 e senador pelo Amapá em 2002. O político também foi eleito vice-governador do estado em 2015 e ocupou o cargo até agosto de 2018. O mandato no Senado terminou em 31 de janeiro de 2011. O ex-senador deixa a esposa, Josélia Martins Papaléo Paes, e duas filhas, Juliana Paes e Jacyra Paes.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h11 Violência doméstica: Senado aprova o PL 2.510/2020, que obriga moradores e síndicos de condomínios a informarem casos de violência doméstica às autoridades competentes. Texto vai à análise da Câmara dos Deputados.
18h38 Prioridade à mulher: Vai à sanção o PL 2.508/2020, que prioriza a mulher como provedora para receber o auxílio emergencial destinado a família monoparental. Pelo texto, o recurso só vai para o pai quando comprovada a guarda unilateral do dependente.
17h30 Proteção aos bancos: Senado aprova PLV 21/2020, decorrente da MP 930/2020, que protege os bancos com investimento no exterior da perdas por variação cambial. O texto segue para sanção presidencial.
Ver todas ›