Para Soraya, notícias sobre Amazônia são manipuladas por interesses econômicos

Da Redação | 04/09/2019, 19h37

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) denunciou, nesta quarta-feira (4), em Plenário, a manipulação de informações sobre a situação na Amazônia. Na opinião da parlamentar, há muito mais em jogo do que o meio ambiente, as queimadas e as reservas indígenas.

De acordo com a senadora, motivações ideológicas ou o interesse em proteger agricultores nos países europeus, que temem a concorrência brasileira, fizeram com que, ao longo dos anos, inúmeras áreas indígenas, parques nacionais e reservas extrativistas tenham sido ampliadas por decreto, mesmo sem demanda, necessidade ou até mesmo população indígena para ocupar as novas áreas. O importante — ressaltou — era propagar ao mundo que o Brasil ampliava a sua área preservada, ou melhor, engessada, por decisão unilateral do governo federal.

Ela criticou a ampliação para 80% da preservação obrigatória da reserva legal particular em toda a Região Amazônica. Assim, "sem qualquer indenização, apoio técnico ou financeiro para essa missão, foi transferida aos produtores a responsabilidade civil e criminal de realizar a preservação ambiental em toda a região". Tal medida, segundo Soraya Thronicke, deixou no limbo cerca de 30 milhões de brasileiros que lá residem e buscam sobreviver.

— Uma das bandeiras da campanha do nosso presidente Jair Bolsonaro foi atacar as máfias instaladas e impregnadas no poder público e acabar com a utilização ideológica de estruturas do poder para enriquecimentos ilícitos de poucos, em detrimento de toda uma população. Essa máfia ambiental é, evidentemente, uma das mais fortes e poderosas infiltradas em todos os níveis hierárquicos e em todos os poderes constituídos da República — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h11 Violência doméstica: Senado aprova o PL 2.510/2020, que obriga moradores e síndicos de condomínios a informarem casos de violência doméstica às autoridades competentes. Texto vai à análise da Câmara dos Deputados.
18h38 Prioridade à mulher: Vai à sanção o PL 2.508/2020, que prioriza a mulher como provedora para receber o auxílio emergencial destinado a família monoparental. Pelo texto, o recurso só vai para o pai quando comprovada a guarda unilateral do dependente.
17h30 Proteção aos bancos: Senado aprova PLV 21/2020, decorrente da MP 930/2020, que protege os bancos com investimento no exterior da perdas por variação cambial. O texto segue para sanção presidencial.
Ver todas ›