CMA quer debater a técnica de ‘fracking’

Da Redação | 07/08/2019, 15h39 - ATUALIZADO EM 09/08/2019, 17h40

A Comissão de Meio Ambiente (CMA) realizará uma reunião na quinta-feira (8), às 10h, para deliberar sobre a realização de uma audiência pública em conjunto com a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) a respeito da técnica de fracking. Também conhecido como fraturamento hidráulico, o fracking é uma técnica utilizada para realizar perfurações de até mais de 3,2 mil metros de profundidade no solo para a extração de gás de xisto ou folhelho (rocha argilosa de origem sedimentar).

O requerimento (REQ 18/2019) da senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) pede uma discussão sobre o uso dessa técnica e seus impactos no solo, no clima, na saúde, nas economias locais e águas subterrâneas.

Segundo a senadora, é necessário debater os impactos da prática para o meio ambiente e para as pessoas, por utilizar solventes químicos de potencial cancerígeno que impactam diretamente a agricultura, a pecuária, o turismo e o bem estar das pessoas que vivem nas regiões de extração.

“Alguns estudos mostram que mais de 90% de fluidos resultantes do fracking podem permanecer no subsolo. O flowback, fluído do fraturamento que retorna à superfície, normalmente armazenado em lagoas abertas ou tanques no local do poço, também causa impactos como a contaminação do solo, ar e lençóis de água subterrânea. Entre os principais danos, estão as mudanças climáticas, consumo de água, contaminação de águas e terremotos”, explica Soraya na justificativa.

O requerimento também sugere que sejam convidados para a audiência pública Juliano Bueno de Araújo, fundador e coordenador nacional da Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida (COESUS); Nicole Figueiredo de Oliveira, especialista nas áreas de mudanças climáticas, direito e sustentabilidade internacional; o geógrafo Luciano Henning; o procurador da República, Luis Roberto Gomes; e o consultor para políticas e iniciativas de desenvolvimento sustentável e uso racional de recursos naturais, Rubens Harry Born.

A reunião será realizada no plenário 9, da ala Alexandre Costa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
15h32 CPI da Pandemia: Questionado por Simone Tebet (MDB-MS), Queiroga disse que questão do uso da hidroxicloroquina será pacificada com a edição de protocolo. Ele disse que a decisão deve levar em conta sociedades científicas e experiências de médicos.
15h07 CPI da Pandemia: Queiroga respondeu ao senador Marcos Rogério (DEM-RO) que quebra de patente de vacinas pode prejudicar o programa de imunização. Ministro disse que Brasil não conseguiria produzir vacinas da Pfizer e da Janssen, das quais depende.
14h53 CPI da Pandemia: Questionado por Humberto Costa (PT-PE), Queiroga disse que sua função é defender "medidas não farmacológicas", como o isolamento. “Meu papel como ministro não é ser crítico do presidente da República ou de integrantes do governo”.
Ver todas ›