Paulo Rocha critica corte orçamentário para universidades federais

Da Redação | 14/05/2019, 19h11

O senador Paulo Rocha (PT-PA) criticou em Plenário, nesta terça-feira (14), o contingenciamento de 30% do orçamento discricionário para o funcionamento das universidades federais em todo o país, anunciado pelo governo federal. O parlamentar informou que caso a medida não seja revertida, as instituições ficarão sem nenhum recurso para custear despesas mínimas de funcionamento dos espaços físicos, manutenção de serviços e até mesmo comprometer o fornecimento de água e energia.

Paulo Rocha ainda relatou que o corte no repasse deixou todas as universidades federais do Pará em estado crítico, prejudicando pesquisas e atendimentos de excelência numa região que concentra as maiores riquezas naturais do mundo, a Amazônia. A iniciativa do Executivo Federal, como salientou o senador, desencadeou uma série de protestos em todo o país, sendo o maior a ser realizado nesta quarta-feira (15), em todos os estados, com a paralização de professores, servidores e alunos das instituições públicas.

— Não permitiremos que este desgoverno sequestre o presente e o futuro do nosso Brasil. Um povo sem educação é um povo subdesenvolvido, fácil de ser manipulado pelos poderosos. Um país sem pesquisa é um país fadado ao atraso, à subserviência de outros países desenvolvidos. Estamos perdendo a nossa soberania — lamentou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h25 Acordo com a Jamaica: O Plenário aprovou o Projeto de Decreto Legislativo 48/2019, que ratifica acordo para troca de informações tributárias com a Jamaica. A matéria vai à promulgação.
19h22 Acordo de Madri: O Plenário aprovou o Projeto de Decreto Legislativo 98/2019, que ratifica protocolo de acordo sobre registro internacional de marcas. A matéria vai a promulgação.
19h17 Frente parlamentar do Norte e Nordeste: O Plenário aprovou o Projeto de Resolução 48/2019, que cria a Frente Parlamentar dos Senadores dos Estados do Norte e Nordeste. A matéria vai a promulgação.
Ver todas ›