Garibaldi faz balanço de sua vida política na sua despedida do Senado

Da Redação | 18/12/2018, 16h21 - ATUALIZADO EM 18/12/2018, 18h18

Depois de 20 anos no Senado, o senador Garibaldi Alves Filho (MDB-RN) fez seu discurso de despedida nesta terça-feira (18) e avisou: continuará atento com o que acontecerá no país e no Rio Grande do Norte.

Ao desejar sucesso a todos que assumirão os mandatos no próximo ano, nos mais diversos cargos, ele fez questão de alertar que a solução para os problemas do país não deve sair de idéias simplistas.

Garibaldi concorreu a um novo mandato no Senado nas eleições deste ano, mas não obteve sucesso. Mesmo assim, disse respeitar a decisão dos potiguares. Afinal, disse ele, sempre lutou durante os 52 anos de vida pública, de forma suprapartidária.

Ex-presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, Garibaldi Alves Filho lembrou que, durante a sua gestão, devolveu ao Executivo, pela primeira vez, uma medida provisória que não cumpria os requisitos constitucionais de relevância e urgência.

Governador do Rio Grande do Norte e ministro da Previdência durante o governo da presidente Dilma Rousseff, período durante o qual o número de contribuintes individuais saltou de 775 mil para 4,6 milhões de contribuintes. Ele lembrou que, ainda no período em que esteve à frente do ministério, um programa específico de contribuição previdenciária foi criado para as donas-de-casa.

— Talvez a medida mais importante tenha sido, como ministro da Previdência, a aprovação que conseguimos de uma emenda constitucional que equiparou o teto de aposentadoria dos servidores públicos ao dos trabalhadores da iniciativa privada. Conseguimos conquistar um projeto viável, depois de um grande debate envolvendo o Parlamento e as unidades representativas dos servidores.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)