CAE autoriza empréstimo de US$ 44,9 milhões do BID para o Piauí

Da Redação | 11/12/2018, 10h24 - ATUALIZADO EM 11/12/2018, 15h21

O governo do Piauí poderá fazer empréstimo junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 44,9 milhões, para investir no Projeto de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento da Gestão Fiscal do Estado do Piauí (Prodaf). A autorização foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), nesta terça-feira (11). Transformado em projeto de resolução, o texto segue para o Plenário, com pedido de urgência para a análise.

De acordo com a Mensagem (MSF) 114/2018, os recursos serão liberados pelo BID durante cinco anos em parcelas de US$ 5 milhões em 2018; US$ 12,1 em 2019; US$ 7,5 milhões em 2020; US$11,9 milhões em 2021 e US$ 8,2 milhões em 2022. Haverá contrapartida do governo do estado.

Eficiência

O dinheiro será usado para a execução de projeto de fortalecimento da administração fazendária do estado, buscando o aumento da eficiência na gestão financeira e a oferta de melhores serviços aos cidadãos. Isso inclui o aprimoramento tecnológico para otimizar o processamento e a cobrança de tributos, com investimentos na melhoria da fiscalização e auditoria; aquisição de equipamentos e máquinas mais modernas para a Secretaria de Fazenda, e investimento em gestão de recursos humanos e e aprimoramento da comunicação com a população, entre ouros pontos.

- A gente sabe que tem capacidade de arrecadação maior do que a gente arrecada de fato, desde que se modernizem os instrumentos, e esse projeto é para isso. O governador [Wellington Dias] tem feito um esforço muito grande, melhorou bastante a arrecadação própria, mas ainda tem espaço para crescer – defendeu a senadora Regina Sousa (PT-PI), eleita vice-governadora do Piauí.

O relatório do senador Dalírio Beber (PSDB-SC) foi lido na reunião por Otto Alencar (PSD-BA).

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)