Nos 30 anos da Constituição, CE aprova Ulysses Guimarães como herói da pátria

Da Redação | 04/12/2018, 14h34 - ATUALIZADO EM 04/12/2018, 19h11

Selo_30 anos _da _Constituição_A Comissão de Educação (CE) aprovou nesta terça-feira (4) a proposta do Ministério da Cultura que inclui o nome do ex-presidente da Assembleia Nacional Constituinte em 1988, Ulysses Guimarães, no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria (PLC 39/2018).

O relatório pela aprovação foi feito por João Alberto Souza (MDB-MA) e lido na CE por Regina Sousa (PT-PI). O texto lembra que Ulysses elegeu-se pela primeira vez deputado federal por São Paulo em 1951, conseguindo depois 10 reeleições sucessivas, exercendo mandatos até sua morte, em 1992.

— Nessa trajetória, um dos pontos altos foi o combate ao regime militar que se instalou em 1964. Ele foi incessante na luta contra os desmandos daquele período e na defesa das liberdades civis e políticas. Também foi memorável o movimento pelas eleições diretas em 1984, quando inclusive passou a ser chamado pelo povo de “Senhor Diretas”. O movimento cresceu muito e o regime militar chegou ao fim — apontou Regina.

Redemocratização

O texto também lembra que, com a redemocratização do país, em 1985, Ulysses elegeu-se presidente da Assembleia Nacional Constituinte, que trouxe à luz a Constituição de 1988. O político morreu no dia 12 de outubro de 1992, aos 76 anos, devido à queda do helicóptero em que viajava no mar de Paraty (RJ). Também estavam no helicóptero o ex-deputado Severo Gomes e as esposas dos dois políticos. De todos, o corpo de Ulysses foi o único que jamais foi encontrado.

Na mensagem encaminhada pelo Ministério da Cultura, a pasta também destaca a participação de Ulysses na Assembleia Nacional Constituinte, que resultou num texto marcado por “avanço dos direitos sociais e pela garantia dos direitos individuais”. Ulysses “foi um político honesto, marcado pela retidão e pela firmeza de propósitos, austeridade e caráter”, conclui o documento do ministério.

A proposta segue agora para análise do Plenário do Senado. Se for aprovada, seguirá para a sanção da Presidência da República.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)