Humberto Costa promete resistência a retrocesso em direitos adquiridos

Da Redação | 29/10/2018, 11h41

Selo_Eleições_2018Humberto Costa (PT-PE) foi um dos oito senadores que conseguiram a reeleição em 2018, um pleito em que o resultado das urnas renovou a cara do Congresso Nacional. Para o parlamentar, com o Senado mais fragmentado — agora serão 21 partidos —, o papel da oposição será mais importante e o desafio, ainda maior.

— Nós vamos desenvolver um trabalho para construir uma maioria. Se isso não acontecer, nós vamos lutar duramente na oposição para resistir aos retrocessos que um governo do [Jair] Bolsonaro pode trazer para o país — afirmou.

O líder do PT no Senado, eleito para o segundo mandato consecutivo, defende a revogação da PEC 55/2016 (a chamada PEC do Teto de Gastos, que deu origem à Emenda Constitucional 95) e da reforma trabalhista. Entretanto, ele admite que o Congresso discuta a adequação do sistema previdenciário. Também aponta a necessidade de uma reforma bancária.

— Para gerar as condições a partir do próprio setor bancário privado de nós termos o financiamento ou a produção, coisa que não acontece no Brasil hoje — explica.

Em relação a Pernambuco, o senador também defende a retomada das obras inacabadas e o resgate da indústria naval.

— Nosso estado tem dois estaleiros com amplas condições de ter um desenvolvimento importante, gerando milhares de empregos. Nacionalmente, vou permanecer lutando especialmente para que a gente melhore as condições de saúde da população brasileira — acrescentou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)