Gleisi Hoffmann critica decisão do TSE de impugnar a candidatura de Lula à Presidência

Da Redação e Da Rádio Senado | 04/09/2018, 20h14 - ATUALIZADO EM 04/09/2018, 21h44

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou nesta terça-feira (4) que a democracia brasileira é vítima de uma série de “golpes” desde o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, até o impedimento da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República nas eleições deste ano. Para Gleisi, o líder do PT tem direito constitucional a registrar seu nome como candidato, mas Lula teria recebido tratamento desfavorável da Justiça Eleitoral. Condenado em segunda instância e preso em Curitiba, Lula teve sua candidatura impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ela afirmou que no caso das candidaturas de Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL), que também foram impugnadas, os prazos processuais foram respeitados. Porém, segundo Gleisi, o processo de Lula teria sido “rapidíssimo”, porque sua candidatura representava um risco. Ela ainda classificou como “censura prévia” as decisões que restringiram as menções a Lula na campanha eleitoral do PT.

— Então, não adianta vocês quererem tirar Lula e censurar a campanha do PT. Entendam: não existe eleição sem a presença de Lula! A política no Brasil passa por ele. Não adianta vocês fazerem isso! — afirmou Gleisi.

A senadora criticou setores do Judiciário que, em seu ponto de vista, contrariaram a lei eleitoral e uma determinação internacional, das Nações Unidas, ao impedir que Lula concorra à Presidência enquanto não for apreciado seu último recurso ao Supremo Tribunal Federal.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)