Ana Amélia adverte que aumento do Judiciário deve gerar mais impostos

Da Redação | 09/08/2018, 13h20 - ATUALIZADO EM 09/08/2018, 18h33

A decisão tomada nesta quarta-feira (8) pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal de conceder um reajuste em seus próprios vencimentos, a partir do ano que vem, em 16,38%, "é inoportuna e provoca um preocupante efeito-cascata nas despesas públicas, que para ser coberto gerará um aumento da carga tributária". O alerta foi feito pela senadora Ana Amélia (PP-RS) em pronunciamento no Plenário do Senado nesta quinta-feira (9).

— É absolutamente inadequado este aumento, porque é uma bola de neve que reajusta conjuntamente os salários de parlamentares a nível federal, estadual e municipal, assim como de ministros de Estado, governadores e prefeitos. São muitas centenas de milhões de reais a mais anualmente num quadro de desajuste fiscal como o que o país já vive, e com mais de 13 milhões de desempregados.

A senadora lembrou que caso o reajuste vingue, o salário de cada ministro do STF passará de R$ 33,7 mil para quase R$ 40 mil. Acrescentou ainda que esta não é a única fonte de renda dos ministros da Suprema Corte, "pois cobram muito caro pelas palestras que dão país afora".

— Se o Congresso não analisar esta proposta muito criteriosamente, a conta vai ser paga pelo povo por meio do aumento de impostos — criticou a senadora, para quem o poder público deveria estar fazendo o contrário, enxugando a máquina pública.

Ao final, Ana Amélia elogiou a operação Lava-Jato pela recuperação de mais R$ 1 bilhão aos cofres da Petrobras, efetivada ontem.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)