Brasil não seria potência agrícola sem a Embrapa, diz Wellington

Da Redação | 03/05/2018, 14h06 - ATUALIZADO EM 03/05/2018, 16h23

O senador Wellington Fagundes (PR-MT) comemorou os 45 anos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Na tribuna do Plenário, nesta quinta-feira (3), o parlamentar lembrou que o Brasil não seria a potência agrícola que é hoje se não fosse o trabalho dos técnicos da instituição.

Segundo o representante do Mato Grosso, os quase 50 anos de contribuição ao agronegócio, ao meio ambiente e à agricultura familiar ajudaram o país a sair da monocultura para estar entre os maiores exportadores mundiais.

- A história nos indica claramente que, sem a Embrapa e sua vasta equipe de profissionais, distribuídos por 42 unidades, presentes em todos os biomas brasileiros, nosso país dificilmente ou jamais teria transitado da monocultura do café para se transformar no maior exportador mundial de soja, açúcar, suco de laranja, carne, frango - afirmou.

Wellington Fagundes disse também que, se a safra brasileira de grãos foi no ano passado oito vezes maior do que a registrada em 1972 - passando de 30 milhões de toneladas para 240 milhões - é porque a Embrapa cumpriu e segue cumprindo o seu papel.

O senador destacou a atuação de duas unidades da empresa: a Embrapa Agrossilvipastoril, instalada em 2012 na cidade de Sinop, no Mato Grosso; e a Embrapa Pantanal, baseada em Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Segundo ele, as duas têm atuado com sucesso nas atividades de pesquisa, assistência técnica e transferência de tecnologia, sempre em contato com as demandas dos produtores rurais.

- Deixo aqui o meu apoio a essa importante empresa e a todos os envolvidos nos objetivos de seguir avançando num modelo de agricultura e pecuária tropicais e genuinamente brasileiro, de forma a persistir superando as barreiras à produção de alimentos, fibras e energia em todo o nosso país - concluiu.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)