Fátima Bezerra diz que proposta de reforma da Previdência tem base em mentiras

Da Redação e Da Rádio Senado | 05/12/2017, 15h39 - ATUALIZADO EM 01/03/2018, 14h17

Por não ter votos suficientes na Câmara para aprovar a reforma da Previdência, o presidente da República, Michel Temer, voltou ao expediente de usar o dinheiro público para aliciar prefeitos e deputados, acusou a senadora Fátima Bezerra (PT-RN).

Além disso, segundo ela, Michel Temer desrespeita a inteligência da sociedade ao garantir, inclusive em propagandas na televisão, que a Previdência é deficitária. Outra mentira, acusou Fátima Bezerra, é a afirmação do governo de que se não houver mudanças nas regras previdenciárias não haverá aposentadoria para as gerações futuras.

Fátima Bezerra citou dados do relatório final da CPI da Previdência, segundo os quais não há deficit nas contas, mas um superávit de R$ 821 bilhões entre os anos 2000 e 2015. Outra conclusão é que o sistema previdenciário deixa de arrecadar R$ 115 bilhões por ano por causa de fraudes e sonegação fiscal.

— Esse governo não tem autoridade nenhuma para falar de deficit fiscal, tampouco para promover uma reforma previdenciária tão radical que, na prática, se chegasse a ser aprovada, iria sepultar o sagrado direito à aposentadoria de milhares de trabalhadores brasileiros. Especialmente dos trabalhadores mais pobres, com baixa expectativa de vida — afirmou Fátima Bezerra.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
20h03 Prêmio Chico Xavier: Os senadores aprovaram a criação do Prêmio Chico Xavier do Senado Federal (PRS 44/2020), que será concedido a pessoas ou entidades que se destaquem em ações sociais de caridade. Segue para promulgação.
19h34 Ministro do STF: O Senado aprovou por 57 votos a 10 a indicação de Kassio Marques para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele assume a vaga a ser aberta pela aposentadoria do ministro Celso de Mello (MSF 59/2020).
19h02 CVM: O Senado aprovou por 50 votos a 11 a indicação de Alexandre Costa Rangel (MSF 55/2020) para a diretoria da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Ver todas ›