Plenário aprova indicação para embaixada na Tailândia

Da Redação | 21/11/2017, 16h12 - ATUALIZADO EM 21/11/2017, 16h19

Com 49 votos favoráveis, um contrário e uma abstenção, o Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (21), a indicação de Ana Lucy Gentil Cabral Petersen para embaixada brasileira na Tailândia, acumulada com o Camboja e o Laos (MSF 66/2017).

Durante sabatina na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), Ana Lucy Petersen observou que a Tailândia é governada por um regime militar, fruto de um golpe ocorrido em maio de 2014. Ela acrescentou que a junta militar que governa o país, chefiada pelo general Prayut Chan-ocha, convocou eleições gerais para novembro de 2018, e há uma expectativa da comunidade internacional para que de fato elas aconteçam, o que será interpretado como um retorno do país ao campo democrático. A diplomata disse ver perspectivas positivas para o Brasil incrementar suas exportações de material de defesa para a nação asiática.

Quanto ao Camboja e ao Laos,  Ana Lucy acrescentou que em ambos os países a lei proíbe críticas ao governo, o que é interpretado como uma atitude criminosa. Como são também nações marcadas por significativos índices de pobreza e carência alimentar, Ana Lucy Petersen vê boas perspectivas de colaboração com o Brasil na área da agricultura, inclusive na exportação de produtos.

Ana Lucy concluiu a graduação em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica, no Rio de Janeiro e é mestre em Política Pública Internacional, pela Escola de Estudos Internacionais Avançados, da Universidade Johns Hopkins, em Washington. Dentre as funções ocupadas pela diplomata, merecem destaque as de segunda e primeira-secretária na embaixada em Washington, conselheira na delegação permanente em Genebra e na embaixada em Assunção, e embaixadora em Luanda, Angola. Desde 2013, é Cônsul-Geral em Nova York.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)