Lindbergh Farias alerta para corte brusco de verbas para a educação

Da Redação | 11/10/2017, 14h58 - ATUALIZADO EM 11/10/2017, 16h21

Ao elogiar a política dos governos Lula e Dilma no campo da educação, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) classificou de "destruidor" o Orçamento da União para o setor em 2018. Nesta quarta-feira (11), no Plenário, ele previu um colapso, principalmente nas universidades e institutos federais.

Ele destacou que na área de ciência e tecnologia, o Orçamento de 2015, que foi de R$ 5,8 bilhões, será de apenas R$ 1,3 bi no próximo ano. Para o ensino superior, que recebeu R$ 13 bilhões em 2015, serão R$ 5,4 bi em 2018.

— As nossas universidades não vão conseguir funcionar no próximo ano. Sabe a rubrica investimento? Cai a zero! Nenhum real para investimento. Isso tudo fruto das opções deste governo e da Emenda Constitucional do Teto dos Gastos — lamentou.

O parlamentar mencionou a realização de um seminário sobre educação, organizado pelas bancada do PT no Senado e na Câmara e pela Fundação Perseu Abramo. Lindbergh também afirmou que Lula tem sido perseguido, não só pelo bom governo que fez, mas principalmente por conta de seu bom desempenho nas pesquisas eleitorais.

— O Lula está com 35%, só apanhando, todo dia, no Jornal Nacional. Eu quero ver o que acontece quando ele começar a falar. Falar do que fez na educação brasileira, porque ele fez uma revolução: quadruplicou o número de escolas técnicas, dobrou o número de campus universitário. Então o que eles têm na verdade é medo. É medo do que o Lula significa ainda para este povo — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
18h56 Aécio Neves: Falaram contra a decisão Jader Barbalho, Telmário Mota, Antonio Anastasia, Roberto Rocha e Romero Jucá. Já Alvaro Dias, Ana Amélia, Humberto Costa, Randolfe Rodrigues e Reguffe foram favoráveis.
18h56 Aécio Neves: Acabou há pouco a discussão sobre o afastamento, pelo STF, do senador Aécio Neves. Dez senadores falaram na tribuna - cinco contrários à decisão do Supremo e cinco favoráveis. Tem início agora a votação da matéria.
17h13 Aécio Neves: Eunício anuncia como se dará a votação do Ofício do STF: os votos SIM mantêm as medidas cautelares do Supremo contra Aécio. Os votos NÃO derrubam a decisão. Se nenhuma das opções alcançar 41 votos, a votação será repetida.
Ver todas ›