Senadores manifestam apoio em Plenário à jornalista Miriam Leitão

Da Redação | 13/06/2017, 19h12 - ATUALIZADO EM 13/06/2017, 20h32

O Plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (13) pedido de voto de solidariedade à jornalista Miriam Leitão, apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). A jornalista de economia foi hostilizada por militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) em voo de Brasília ao Rio de Janeiro no dia 3 deste mês.

O caso foi relatado por Miriam Leitãoo em sua coluna no jornal O Globo, a qual ela intitulou de “Ódio a bordo”. No relato, a jornalista descreve os xingamentos, ameaças e palavras de ordem dirigidos a ela por homens e mulheres delegados do PT, que retornavam do congresso do partido em Brasília.

Randolfe Rodrigues afirmou que os atos dos militantes não dialogam com o espírito democrático.

O ocorrido também foi lamentado pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), o qual ressaltou que a possibilidade de concordar ou de discordar é própria do sistema democrático.

— A minha solidariedade é não apenas a Miriam Leitão, mas a todos aqueles que sofram qualquer tipo de agressão ou discriminação por seus pensamentos, palavras e votos – afirmou Eunício.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) leu em Plenário a nota oficial da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, e apoiou o voto de solidariedade proposto por Randolfe.

A presidente do PT afirma, na nota, a orientação à militância é de “não realizar manifestações políticas em locais impróprios e a não agredir qualquer pessoa por suas posições políticas, ideológicas ou por qualquer outro motivo”.

A senadora Ana Amélia (PP-RS), que também é jornalista, leu na íntegra o relato de Miriam Leitão a respeito do episódio. Ela classificou o ocorrido como “absolutamente inaceitável em um regime democrático”.

Ana Amélia também citou o posicionamento oficial adotado pela Associação Nacional de Jornalismo, feito pelo diretor-executivo da Associação Nacional de Jornais, Ricardo Pedreira. De acordo com a senadora, a associação considerou as manifestações de intolerância como um comportamento violento e um sinal de autoritarismo.

Os senadores José Medeiros (PSD-MT), Magno Malta (PR-ES), Vanessa Grazziotion (PCdoB-AM), João Capiberibe (PSB-AP), Jorge Viana (PT-AC) e Lasier Martins (PSD-RS) também se manifestaram em solidariedade à jornalista Miriam Leitão.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)