Procuradoria da Mulher do Senado promoverá seminário internacional

Da Redação | 09/11/2016, 17h03 - ATUALIZADO EM 09/11/2016, 17h15

Um seminário internacional sobre empoderamento político, econômico e social das mulheres marcará o encerramento das ações das deputadas e senadores em 2016. O anúncio foi feito no café da manhã da bancada feminina no Congresso, realizado nesta quarta-feira (9), no gabinete da senadora Vanessa Grazziotin, procuradora da Mulher do Senado.

O seminário Mulheres no Poder: Diálogos sobre Empoderamento Político, Econômico e Social está previsto para o período de 13 a 15 de dezembro em Brasília.  Em quatro painéis programados, serão abordados temas da pauta feminina e elaborado um documento pela manutenção dos direitos das mulheres a ser dirigido às lideranças políticas nos legislativos federal, estaduais e municipais em 2017.

O evento

O primeiro painel abordará as experiências internacionais de observatórios de violência contra as mulheres, com a presença de representantes de Portugal, do Peru, da Espanha e do México.

O segundo discutirá a presença das mulheres no Poder Legislativo. Senadoras, deputadas federais, distritais e vereadoras reforçarão a campanha Mais Mulheres na Política e a PEC 134/2015, em análise em comissão especial da Câmara dos Deputados, que reserva vagas para mulheres nos legislativos federal, estaduais e muniocipais.

O terceiro painel debaterá o empoderamento da mulher nas empresas e abordará experiências vitoriosas realizadas em corporações que respeitam a equidade de gênero no trabalho.

No quarto e último painel, entidades de segmentos de mulheres de todo o Brasil debaterão o protagonismo feminino na liderança do movimento organizado, com destaque para mulheres negras, estudantes, indígenas, LGBT, sindicalistas, jovens e idosas. Apresentações artísticas irão descontrair a abertura e o encerramento do encontro.

Mobilização

Para Vanessa Grazziotin, “é fundamental mobilizar mulheres de todo país para participar do seminário e trazer experiências dos estados para fomentar o debate dos temas abordados nos painéis”.

A senadora destacou que “discutir o espaço das mulheres nos cargos de poder é trazer o foco para essa pauta tão urgente que é a paridade”.

Vanessa participou neste mês como observadora das eleições na Nicarágua, país que ocupa o 13º lugar no ranking da participação política de mulheres (39,1%), muito à frente do Brasil, na 154ª posição.

A deputada Ana Perugini (PT-SP), coordenadora-geral da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos Humanos das Mulheres, representou as deputadas na reunião e defendeu a necessidade de abordar no seminário “a questão de que a desigualdade entre homens e mulheres é imprescindível à sustentação da estrutura econômica, que não oferece a mesma oportunidade a todos”. A deputada participou da 13ª Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e Caribe, entre os dias 25 e 28 de outubro, em Montevidéu, no Uruguai. No encontro, foi aprovada a Estratégia de Montevidéu para alcançar a igualdade de gênero na região até 2030.

Fazem parte da organização do seminário a Procuradoria Especial da Mulher do Senado, o Banco Mundial e a ONU Mulheres, em parceria com o Observatório de Violência contra a Mulher do Senado, a Comissão Permanente Mista de Violência da Mulher, a Secretaria da Mulher e a Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados, a Comissão de Defesa da Mulher e a Frente Parlamentar em Defesa da Mulher da Câmara dos Deputados, o Grupo Mulheres do Brasil, a Secretaria Adjunta de Mulheres, Direitos Humanos e Igualdade Racial do GDF, a Avon, e a empresa Maurício de Sousa Produções.

Cotas para mulheres

Durante o café, a bancada feminina recebeu o grupo Mulheres do Brasil, que defende a aprovação do PLS112/2010. Esse projeto define cotas de participação de mulheres nos conselhos de administração das empresas públicas e sociedades de economia mista. Integrante do grupo, Maria Luiza Bueno explicou a importância de aprovar o projeto que tramita na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania “para corrigir distorções na ascensão feminina aos cargos executivos”.

Participaram do café da manhã as senadoras Vanessa Grazziotin, Simone Tebet (PMDB-MS), Regina Sousa (PT-PI), Lídice da Mata (PSB-BA), Ângela Portela (PT-RR), Fátima Bezerra (PT-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR); as deputadas Ana Perugini e Jô Moraes (PCdoB-MG); a diretora geral do Senado, Ilana Trombka; representantes do grupo Mulheres do Brasil; e o coordenador geral de operações do Banco Mundial no Brasil, Boris Utria.

Da assessoria de imprensa da Procuradoria da Mulher do Senado

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)