'Escala brasileira' tem edição especial sobre Renato Russo neste fim de semana

Da Redação e Da Rádio Senado | 07/10/2016, 08h01 - ATUALIZADO EM 01/12/2016, 13h10

No mês em que se completam os 20 anos de morte de Renato Russo, a Rádio Senado apresenta uma edição especial do programa Escala Brasileira, em homenagem ao líder da Legião Urbana.

"Renato Russo - Retrato (Sonoro) de um artista quando jovem" é o tema do programa, que foi  dividido em duas partes, com apresentação de Carlos Pinduca e Dinho Villela, excepcionalmente. A primeira parte vai ao ar no domingo (9), às 19h, com reprise na terça-feira (11), às 3h; e na quinta-feira (13), às 23h. A segunda parte será veiculada na semana seguinte, nos dias 16 (domingo, às 19h), 18 (terça, 3h) e 20 (quinta, 23h).

Um retrato do mito

Em 1984, Renato Russo tinha apenas 24 anos e acabara de gravar seu tão sonhado primeiro disco com a Legião Urbana, banda brasiliense que liderava havia dois anos. Até aquele momento, Renato era apenas (mal) conhecido no Distrito Federal como o ex-líder da banda punk Aborto Elétrico e como uma espécie de porta-voz da chamada Turma da Colina, grupo de jovens brasilienses que se reuniam para se divertir e escutar punk rock nas festas e nas "quebradas" de Brasília. Mesmo em busca de reconhecimento, Renato não poderia prever que em pouco tempo suas músicas estourariam nas rádios nacionais, colocando seus versos na ponta da língua de milhares de jovens.

Foi entre a gravação do álbum de estreia e o estouro da Legião, que Renato e os outros três integrantes da banda concederam uma entrevista aos também radialistas Dinho Vilela e Jamari França, que na época comandavam o programa Rock Clips, na Rádio Melodia de Petrópolis. O clima era o mais informal possível: a entrevista foi gravada na casa da avó de Dinho, no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro (RJ), e registrada num gravador de rolo. E o que era para ser apenas um depoimento de alguns minutos para o Rock Clips acabou se tornando uma entrevista de quase duas horas de duração. Renato Russo fala de suas predileções musicais, das suas visões de mundo, da Turma da Colina e praticamente disseca o primeiro disco da Legião Urbana, faixa a faixa.

O estouro da Legião e a consequente exposição nos meios de comunicação, aliados ao alcoolismo e à depressão, fizeram com que Renato Russo fosse se tornando cada vez mais recluso e de poucas palavras com a imprensa. A morte em 1996, vítima dos efeitos da Aids, calou de vez o artista, transformando-o em mito. Todos esses fatores tornam a entrevista realizada por Dinho Vilela e Jamari França, em novembro de 1984, ainda mais preciosa, pois revelam um Renato Russo extremamente comunicativo e ainda em busca de afirmação como artista — algo muito diferente, portanto, da imagem do músico que ficaria para a posteridade. Na passagem dos 20 anos de morte de Renato Russo, vale a pena ouvir essa espécie de retrato sonoro do artista, revelando toda a sua sensibilidade, seu conhecimento sobre arte e sua vontade de conquistar o mundo (da música).

Dinho Vilela é radialista, músico, produtor de palco, cidadão do mundo. Já morou nos Estados Unidos, na  Inglaterra, na França e em Portugal e já tocou em bandas como Bagas Guru e D'Click, tendo algumas de suas composições gravadas por artistas como Os Ronaldos e Angela Ro Ro. Foi roadie e assistente de palco no Brasil e em Portugal e, desde 1999, trabalha na área de programação musical da Rádio Senado.

Jamari França é jornalista, produtor e apresentador de rádio, atuante no cenário musical brasileiro desde a década de 1970. Como crítico de música, trabalhou no Jornal do Brasil e em O Globo. Em 2003, lançou o livro Vamo Batê Lata, biografia da banda Os Paralamas do Sucesso. Já aposentado dos jornais, atualmente mantém um programa na Rádio Cult FM (radiocultfm.com).

COMO OUVIR

"Renato Russo - Retrato (Sonoro) de um artista quando jovem"

Dia e horário: dividido em duas partes, com apresentação de Carlos Pinduca e Dinho Villela, excepcionalmente. A primeira parte vai ao ar no domingo (9), às 19h, com reprise na terça-feira (11), às 3h; e na quinta-feira (13), às 23h. A segunda parte será veiculada na semana seguinte, nos dias 16 (domingo, às 19h), 18 (terça, 3h) e 20 (quinta, 23h).

Para sintonizar: A Rádio Senado transmite sua programação para Brasília e regiões vizinhas na frequência de 91,7 FM e para outras nove capitais: Cuiabá (102,5 FM), Fortaleza (103,3 FM), João Pessoa (106,5 FM), Manaus (106,9 FM), Natal (106,9 FM), Rio Branco (100,9 FM), Teresina (104,5 FM), Macapá (93,9 FM) e São Luís (96,9 FM). Parte da programação é retransmitida, também, pela Rádio Ufop Educativa (106,3 FM), para a região de Ouro Preto, Minas Gerais.
Pela internet: O programa está disponível na página da Rádio Senado a partir de sexta-feira, dia 08/05 (acesse aqui)

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
Arte Comunicação Homenagem Música