José Aníbal defende limite de gastos com pessoal, sem exceções

Da Redação e Da Rádio Senado | 03/08/2016, 18h06 - ATUALIZADO EM 03/08/2016, 18h11

Em pronunciamento nesta quarta-feira (3), o senador José Aníbal (PSDB-SP) disse que estranhou a declaração do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de que seriam secundários os artigos da renegociação das dívidas dos estados que obrigam os poderes e órgãos estaduais a limites de gastos com pessoal.

Para o senador, isso significa que poderá haver exceções no limite do teto para algumas categorias, o que, no entender dele, poderá prejudicar outros setores.

— Para se excepcionalizar a regra para determinados setores, vai ter que agravar as condições para outros setores, com redução de investimentos, quem sabe, na saúde, educação, segurança. Não pode.

José Aníbal lembrou que o país precisa buscar o reequilíbrio das contas públicas para que possa voltar a crescer, gerar emprego e renda para os brasileiros.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)