Gladson Cameli pede que partidos indiquem membros da Comissão de Orçamento

Da Redação e Da Rádio Senado | 27/04/2016, 19h42 - ATUALIZADO EM 27/04/2016, 20h37

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) ainda não tem data para ser instalada e começar a trabalhar porque nem todos os partidos fizeram suas indicações, reclamou o senador Gladson Cameli (PP-RO). Ele foi indicado pelo PP para integrar a comissão. Para o senador, isso significa que o orçamento está sendo relegado a segundo plano por causa dos problemas político-partidários vividos pelo país.

Também preocupante, segundo Gladson Cameli, é que o Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), que chegou há poucos dias para exame do Congresso Nacional, prevê redução da meta de resultado primário em até R$ 65 bilhões. Na prática, isso significa que o governo vai gastar mais que arrecadar, advertiu o senador.

Gladson Cameli reclamou que outros dados da LDO também não são nada animadores, como a previsão de recriação da CPMF e o valor estabelecido para o salário mínimo no ano que vem.

— O salário mínimo para 2017 deve receber apenas o reajuste do INPC de 2016, estimado em 7,5%. De R$ 880 iria para R$ 946. Enfim, a peça orçamentária revela um cenário nada animador, que além de onerar estados e municípios, pesa para o cidadão, que perde na prestação de serviços públicos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)