CPI do HSBC prorrogada até o final de outubro

Da Redação | 29/03/2016, 19h52 - ATUALIZADO EM 29/03/2016, 21h15

Foi anunciada nesta terça-feira (29) a prorrogação dos trabalhos da CPI do HSBC, que investiga contas não declaradas de brasileiros na Suíça. Instalada em março de 2015, a CPI já havia obtido uma extensão no prazo dos trabalhos. Com a nova prorrogação, o prazo final, que seria em 30 de abril, passa a ser o dia 27 de outubro deste ano.

A última reunião da CPI foi feita em dezembro de 2015. A previsão era de que os trabalhos fossem encerrados antecipadamente, por causa da dificuldade de obter dados para a investigação. Em janeiro deste ano, no entanto, a Justiça francesa autorizou a liberação dos dados do escândalo conhecido como Swissleaks. Com isso, a CPI do HSBC terá acesso a toda a documentação referente aos correntistas da filial do banco em Genebra e poderá continuar investigando.

Investigação

Formada por 11 titulares e sete suplentes, a CPI foi criada para apurar contas bancárias não declaradas de cidadãos brasileiros na filial do HSBC em Genebra, na Suíça. O banco é acusado de ter facilitado a evasão de divisas para clientes de diversas nacionalidades entre 2005 e 2007. Estima-se que U$ 7 bilhões tenham deixado o Brasil sem a devida prestação de contas no período. O esquema foi denunciado por um ex-funcionário do HSBC, o analista de sistemas Hervé Falciani, e é alvo de investigações na França e no Brasil.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
CPI do HSBC Justiça Trabalho